Sorvete de ameixa

Minha capacidade de perdoar é indiscreta. Grita feito louca, corre nua em pleno dia de feira, vai se lambuzando de purpurina e sempre exagera nas plumas. É um escândalo. Meu senso de perdoabilidade é convexo, saliente, porque é vulcão e…

O nariz do personagem

Sentindo ou não, seria como um descampado alegre. Daqueles sempre lindos e limpos. Daqueles em que sempre o personagem principal sai para pensar na vida. Ou na morte, dependendo da cabeça do autor. Querendo ou não, seria também uma…

Café quentinho com tapioca

As tradições folclóricas são saborosas com o povo do sertão. As festas juninas e julinas são sempre melhores no interior, preferencialmente na zona rural. Um pavilhão de significados, girando, girando. Vamos abrir a porta, vamos entrar na…

A gramática da limpeza

Estive pensando, pensando. Tomei algumas decisões que pareciam urgentes. Vou fazer uma limpeza gramatical de pensamentos. As figuras de linguagem me auxiliarão nessa viagem. Economizarei alguma coisa, eliminarei esforços, vou tangendo os…

Os mesmos papéis de carta

Ouvi dizer em algum lugar que não devemos esperar demais dos outros. Por não seguir à risca esse argumento, eu acabo, às vezes, sofrendo com reações de algumas pessoas ou me surpreendendo com lugares. Certa vez, encontrei uma…

Nossa turma do Chaves

Escola Nossa Senhora do Carmo. Na sexta série, aos onze anos de idade, eu comecei a me soltar, a me envolver mais com música, dança e teatro. Foi na escola que a timidez começou a ser vencida, com o auxílio da nova morada, no Alto Belo…

Nós, os coleguinhas

Nosso imaginário era pura disciplina. Acordar cedo, tomar um banho frio, fazer um lanche, chegar à escola. Da Rua Justino Bezerra até a Escola Nossa Senhora do Carmo parecia uma distância enorme. Antes disso, era de praxe acenar para…

Fazenda

Meu universo pomar se incandesceu de maçãs. Como em canto, também uvas enfileiradas. Meu universinho pomar se enverdejou de inverno, propôs mais verde, teceu o laranjal. Veja, moço, como a terra é boa, o negócio vai prosperar em…

O povo wiaóke II

Na minha frente, o mundo se abria, vertiginoso, dizendo aos meus olhos que tudo é um mistério voador. Um cheiro alegre e acolhedor me fez chorar pelas narinas. Era um espirro aos montes, rasgando e, ao mesmo tempo, abraçando-me por…