Verba do MEC vai possibilitar compra de novos equipamentos para o HUJB


O Hospital Universitário Júlio Bandeira da Universidade Federal de Campina Grande (HUJB-UFCG) vai receber recursos oriundos do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O crédito orçamentário para o hospital foi de aproximadamente R$ 155 mil reais.

O montante é referente à primeira parcela do Rehuf/MEC, que teve a liberação antecipada para o começo de janeiro. É a primeira vez que isso acontece. Ao contrário de 2017, o repasse será feito em várias parcelas ao longo deste ano com o objetivo de melhorar o planejamento dos hospitais. A superintendente do HUJB, Mônica Paulino, informou que a finalidade é investir esse capital em equipamentos para abertura dos novos serviços.

“Os hospitais podem usar os recursos para despesas de capital e custeio. Estamos em uma situação confortável quanto ao custeio. Provavelmente, vamos usar esse crédito para adquirir equipamentos para a maternidade, mais especificamente para o setor de neonatologia”, informou Mônica, acrescentando que a liberação em várias parcelas ao longo de 2018 tem o objetivo de melhorar o planejamento dos hospitais.

Somente nesta primeira leva, a Ebserh destinou um total de R$ 31,4 milhões para os hospitais universitários, mediante a aplicação da matriz vigente de distribuição de recursos do Rehuf. Foram contempladas 48 instituições, incluindo o Hospital Universitário Alcides Carneiro, também da UFCG, e o Hospital Universitário Lauro Wanderley, da UFPB.

O recurso será utilizado na compra de insumos, como medicamentos, ou em investimentos nas unidades, como novos equipamentos ou reformas. A decisão fica à critério do próprio hospital, que agora deve informar à Ebserh, por meio de planos de trabalho, o destino dos recursos.

O Programa

Os recursos do Rehuf são oriundos dos ministérios da Educação (MEC) e da Saúde (MS). O programa destina-se à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, incluindo as não filiadas à Ebserh, estatal vinculada ao MEC, que administra 39 hospitais universitários federais. A descentralização obedece a critérios como o porte do hospital (número de leitos), o perfil assistencial (baixa, média ou alta complexidade), obras e reformas em andamento, entre outros.

O objetivo é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde. O programa também prevê iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *