Cajazeiras-PB, 18/10/2017

Último debate entre Cássio e Ricardo é marcado por troca de ataques

DEBATE-ULTIMO

A troca de ataques deu o tom do último debate entre os candidatos ao governo da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) e Ricardo Coutinho (PSB), realizado na noite desta quinta-feira (23) pelas TVs Cabo Branco e Paraíba. Os dois concorrentes deixaram as propostas em segundo plano e optaram preferencialmente pelas críticas, que muitas vezes saíram do campo administrativo e entraram no pessoal.

Com a mediação do jornalista da Rede Globo José Raimundo, o último confronto antes do segundo turno, que acontece no domingo (26), foi dividido em três blocos. No primeiro deles os candidatos fizeram perguntas com temas livres, o segundo teve temas determinados por sorteio e o último foi destinado às considerações finais. O programa completo teve duração de cerca de uma hora.

O clima entre os candidatos começou a ficar tenso logo no começo do debate. Cássio perguntou a Ricardo o porquê de ele não fazer investimentos no combate às drogas. O governador respondeu que tinha assinado um programa nacional para tratamento de dependentes químicos e ressaltou que o problema não poderia ser jogado nas costas do Estado. Na sequência ele atacou Cássio afirmando que o tucano havia criado um programa para beneficiar estudantes com uma poupança, quando era prefeito de Campina Grande, mas não o efetivou.

“ Você toda campanha promete, cria factoides, faz da política um espetáculo. Mas, de trabalho, trabalho, absolutamente nada. Em política ou trabalha, ou a população faz as contas e manda embora. O trabalho não é o seu forte, você há de convir”, afirmou Ricardo Coutinho.

Cássio rebateu Ricardo, lhe chamando de provocador e oportunista. “A Paraíba lhe derrotou Ricardo, você foi rejeitado. Não fosse a eleição em dois turnos, onde você teve de buscar alianças incoerentes, com quem você atacava, com o oportunismo de sempre”, disse o tucano.

Na sequência Ricardo perguntou a Cássio sobre o seu interesse em privatizar a Cagepa. Insinuação negada pelo tucano. “Ricardo, não coloque palavras na minha boca, não basta você criar números, trazer uma realidade que não existe na Paraíba, agora quer colocar palavras na minha boca. Tire a máscara. Fale a verdade, deixe de mentir. Eu nunca falei em privatização da Cagepa”, disse. “Você foi rejeitado pelo povo da Paraíba. Não fosse a eleição em dois turnos você já teria perdido a eleição”, completou Cássio.

Mantendo o clima de confronto, Ricardo afirmou que o candidato do PSDB estava desesperado. “Como a Paraíba me rejeitou? Eu tô aqui disputando com você . O teu desespero, a tua raiva, o teu ódio, demonstram claramente à Paraíba que você está em desvantagem. Até o Ibope disse isso. A situação está um pouco delicada para você, mas para mim a eleição é no domingo”, disse o candidato à reeleição. O socialista declarou ainda que o adversário tem sim projetos para privatizar a Cagepa e usa a área de esgoto como argumento.

Na abertura do segundo bloco, com temas determinados por sorteio, Cássio indagou Ricardo Coutinho sobre ações de incentivo à indústria. O governador falou que na sua gestão trouxe 197 indústrias para o Estado e garantiu R$ 6,3 bilhões de investimentos no setor. Depois disso voltou a atacar o tucano. “Você fala como se nunca tivesse ocupado nada, você foi da Sudene, e a Paraíba sabe como foi sua passagem. Você foi governador duas vezes, você já foi prefeito. Já teve parentes, tio, pai, todo mundo na esfera política, e quer me perguntar, eu com três anos e 10 meses [ de governo]”, disse o socialista.

Cássio afirmou que fez uma pergunta de bom nível e Ricardo tentou desqualificar o debate. “Na Sudene tive uma passagem de um ano extramente operosa . Não fale de honrabilidade tendo um irmão como Coriolano Coutinho, que tem denúncias enormes, a Paraíba sabe dos problemas que seu irmão enfrenta”, declarou.

Em outro momento Ricardo questionou Cássio sobre ações realizadas para viabilizar a transposição do Rio São Francisco na Paraíba, no período em que o tucano governou o Estado. O candidato do PSDB disse que um dos projetos mais importantes que fez foi o canal Acauã-Araçagi e afirmou que o governador não reconhecia isso. “Você pegou a ‘garapa’ de só executar a obra, já com tudo pronto. Isso vale para o Centro de Convenções [ de João Pessoa], isso vale para as estradas da CAF [Confederação Andina de Fomento], vale para as adutoras da Translitorânea e para adutora São José, em Campina Grande”, declarou. Cássio disse ainda que o Estado não teria condições de receber as águas do São Francisco porque a administração de Ricardo não concluiu as obras necessárias.

“Dois lamentáveis equívocos, demonstram seu desconhecimento total da realidade. Primeiro: não foi o senhor que fez o projeto [ do canal Acauã-Araçagi], foi o Ministério da Integração, o senhor engavetou o projeto. Foi o governador José Maranhão que resgatou o projeto. Segundo: das 55 cidades das bacias receptoras do São Francisco, 20 já iniciaram ou estão a iniciar o processo de saneamento. Você não tem conhecimento das coisas, é impressionante”, rebateu Ricardo Coutinho.

No último bloco cada um dos candidatos teve direito a dois minutos para as considerações finais.

JORNAL DA PARAÍBA

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *