Cajazeiras-PB, 22/10/2017

TJD-PB arquiva um dos processos contra o Atlético de Cajazeiras no Paraibano 2015

julgamento_atletico-pb

O Atlético-PB não se classificou para o quadrangular final do Campeonato Paraibano, mas ao menos fora de campo a competição ainda não acabou para o Trovão Azul. O time de Cajazeiras se tornou alvo de três denúncias sobre supostas escalações irregulares de jogadores ao longo da primeira fase do estadual. Mas escapou de pelo menos uma delas nessa terça-feira. O Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD-PB) arquivou o processo movido pelo Lucena, na qual o Tubarão do Norte acusou o clube sertanejo de escalar irregularmente o lateral-direito Marquelino, na partida contra o Auto Esporte, no dia 9 de abril, no Estádio Almeidão.

Na denúncia, o Lucena alega que Marquelino não tinha condições legais de jogo contra o Auto Esporte, já que tinha recebido o terceiro cartão amarelo na partida anterior e, portanto, deveria cumprir suspensão automática.

De fato, as súmulas emitidas pela Federação Paraibana de Futebol (FPF) confirmam que o lateral atleticano recebeu cartões contra Sousa (1º de fevereiro), Miramar (22 de fevereiro) e Santa Cruz-PB (5 de abril), e que a suspensão deveria ser registrada na partida do dia 9 de abril, contra o Auto.

Mas a 2ª Comissão Disciplinar do TJD-PB sequer julgou o mérito do processo, porque segundo a decisão a ação continha falhas técnicas. Os auditores se basearam no artigo 80 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata sobre o pagamento do preparo de qualquer ação. No resultado do processo, o TJD-PB alerta que o pedido do Lucena foi feito no dia 10 de abril, mas que o preparo só foi feito no dia 14.

Se tivesse sido punido pela escalação de Marquelino contra o Auto, o Atlético-PB perderia quatro pontos. É que o CBJD prevê que a punição nesses casos é de perda dos pontos conquistados na partida em questão (um, já que o jogo terminou empatado por 2 a 2) mais o valor da partida (três). Se isso tivesse acontecido, o Trovão cairia para 15 pontos e, ainda assim, escaparia do rebaixamento, já que o Lucena, que terminou como o melhor colocado do Z-2, somou apenas 14.

Mas ainda há outras duas acusações contra o Atlético-PB sobre escalação irregular de jogadores. Segundo denúncia do Lucena, o Trovão também escalou o zagueiro Alisson e o volante Fabinho Vitória, apesar de ambos terem que cumprir suspensão automática também por conta da sequência de três cartões amarelos.

As súmulas divulgadas pela FPF indicam que Alisson jogou contra o Lucena, no dia 1º de abril, mesmo tendo recebido amarelos contra Sousa (1º de fevereiro), Treze (10 de março) e Botafogo-PB (15 de março). E Fabinho Vitória entrou em campo contra o Santa Cruz-PB, em 5 de abril, apesar dos cartões recebidos nos jogos contra CSP (8 de fevereiro), Botafogo-PB (15 de março) e Lucena (1º de abril).

Se for punido a partir dessas denúncias, o Atlético-PB pode perder até 10 pontos (seis referentes ao valor das duas partidas, mais quatro, que foi quanto o clube somou nos jogos). E, aí sim, o Trovão cairia para nove pontos, ficando à frente apenas do Miramar na tabela de classificação e, portanto, se tornando um dos rebaixados no Paraibano deste ano.

GLOBOESPORTE.COM

SOBRE Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *