Cajazeiras-PB, 24/11/2017
HOME » COLABORADORES » [REUDESMAN LOPES] Edme e eu

[REUDESMAN LOPES] Edme e eu

edme-ff

Confesso que sábado 16, quando abri o face e me deparei com a notícia do falecimento do Dr. Edme Tavares tive um choque enorme e ali, naquele momento, refleti sobre o homem, o político e o amigo que perdíamos.

Para Cajazeiras, uma perda sem que tenhamos a dimensão de uma avaliação do que ele representou para a terra do Padre Rolim. Para nós, fica um legado de amizade e de confiança que sempre depositou neste eterno amigo.

Lembro que em 1978, em João Pessoa, encontrando-se com minha mãe Nazareth Lopes e batendo um papo com ela, perguntava sobre a sua família e, mamãe dizia a ele que o seu filho mais velho morava na capital e cursava Educação Física, de pronto ele perguntou se este não gostaria de um contrato para professor, estava assim iniciando-me no magistério e após uma semana lá estava eu contratado professor do Colégio Estadual Oswaldo Pessoa situado no Distrito Industrial em João Pessoa.

Vivíamos o apogeu das grandes semanas universitárias e, claro, embate político que envolvia, Bosco Barreto de um lado e Edme do outro, também dentro da AUC, certa vez ele nos chamou ao seu gabinete na Assembleia Estadual para tomar ciência do andamento de determinada eleição e passamos todas as informações. Depois, Edme assumiu a Secretaria do Trabalho e Ação Social e nos trouxe para o Centro Social Urbano Sinhara Sobreira onde assumimos a coordenação esportiva.

Em 2000, quando ele fez a festa do Padre Rolim em Cajazeiras, veio até nós para que assumíssemos o departamento de esportes, pedido aceito e trabalho realizado com sucesso. Assim, resumo parte da minha história ligada a Edme Tavares e entendo-a como fundamental em toda a nossa vida e nunca deixei de relatar o tamanho da gratidão e do amor que possuo por este ilustre homem, em todas as oportunidades que tenho de fazê-la.

Que Cajazeiras, seus políticos, seus filhos e filhas, possam neste momento de saudades e de dor fazer uma profunda reflexão da grandeza que foi em vida o Dr. Edme Tavares de Albuquerque para com a sua amada terra e que a este, seja feita todas as reverencias que lhes serão justas pelos cajazeirenses e cajazeirados.

Eternizo aqui, neste espaço, como fiz ao próprio, os meus agradecimentos ao amigo que sempre nos ajudou e que foi um dos mais ilustres mestres no ensinamento da ética e do amor por Cajazeiras.

Que a figura do nosso Cristo Rei, de abraços abertos, o acolha lá no céu e ele lá de cima em outra dimensão, continue a trabalhar pela terra do Padre Rolim. Obrigado Dr. Edme Tavares.

Revanchismo – Os comentários na cidade são que pelo ódio nutrido pela cúpula da Federação Paraibana de Futebol contra o treinador Tassiano Gadelha, a briga sobrou para o Atlético Cajazeirense de Desportos que por intermédio desta, solicitou ao Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba uma punição para o representante de Cajazeiras. Assim sendo, o que tanto se falava em gestões anteriores da mentora paraibana, começa a ser transparente na atual diretoria. Lamentamos profundamente a política do rancor contra o clube da terra do Padre Rolim que nada tem a ver com problemas pessoais de outras pessoas. Isso fere a ética.

 

Memorial – Existe uma grande possibilidade para quando do lançamento na primeira quinzena do mês de agosto, do livro que fala sobre a História do Futebol de Cajazeiras, possa ao mesmo tempo, ser lançado o projeto que trata da fundação do Memorial Itinerante do nosso futebol. Nesse sentido, estamos trabalhando para que essa ideia possa sair da teoria e entrar no campo da sua praticidade. O objetivo principal é mostrar a riqueza cultura em fatos e fotos do futebol da terra do Padre Rolim.

 

BOLA DENTRO

Para o professor Marcio Ranieri que vem desenvolvendo um trabalho excepcional na área da Atividade Física como forma de prevenção a saúde dos cajazeirenses lá na academia do Xamegão. Esse merece a NOTA 10!

 

BOLA FORA

Para a Federação Paraibana de Futebol que tenta atingir Tassiano Gadelha usando o Atlético Cajazeirense de Desportos como arma mortal. Cajazeirense e cajazeirados repudiam tamanho ato que fere o Mais Querido do Sertão. Para a FPF a NOTA 0!

SOBRE REUDESMAN LOPES

REUDESMAN LOPES

Professor de Educação Física e escritor. Autor dos livros “História do Futebol de Cajazeiras” e “Nazareth Lopes – Uma Vida de Ensinamentos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *