Cajazeiras-PB, 22/10/2017

Representando o governador, Jeová participa da II Oficina Macrorregional Nordeste de Arranjos Produtivos Locais

O deputado Jeová Campos falou sobre a importância dos investimentos nos arranjos produtivos locais

O presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente da ALPB, deputado Jeová Campos (PSB) representou o governador Ricardo Coutinho na solenidade de abertura da II Oficina Macrorregional Nordeste – APLs: Rota de Integração Nacional, na manhã desta terça-feira (21). O evento, realizado no Centro de Convenções de João Pessoa, teve o objetivo de debater, de forma estratégica, a competitividade da base produtiva da região, através dos Arranjos Produtivos Locais e promover discussões mais aprofundadas sobre as apresentações que ocorreram na I Oficina, onde representantes dos núcleos de APL de vários estados do Nordeste falaram sobre suas experiências, dificuldades e casos de sucesso.

O secretário de Desenvolvimento Econômico da Paraíba, Laplace Guedes, deu as boas-vindas aos participantes do evento e abriu os trabalhos da II Oficina. “Esse é um momento importante para ajudar a fortalecer os arranjos produtivos locais, quando temos que ser bastante criativos para superar esse momento de crise. Precisamos transformar esse momento de fragilidade em oportunidade, portanto as discussões e deliberações deste encontro serão muito importantes”, disse o secretário Laplace.

Em sua fala, o presidente da Comissão de Desenvolvimento da ALPB, Jeová Campos, fez uma critica ao direcionamento do volume de recursos do BNDES ao Nordeste. “Nós representamos 28% da população do país, 1/3 dos brasileiros estão no Nordeste, no entanto, o BNDES só direciona 11% do volume de seus investimentos para a região. Esse percentual precisa ser revisto, nós não podemos continuar aceitando essa exclusão”, disse o parlamentar. Para Jeová, a crise é sempre um momento de superação e onde todos os agentes políticos precisam estar unidos. “Neste sentido, quero tornar pública minha indignação com a postura do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que pediu uma CPI para o BNDES. O momento que estamos vivendo precisamos de união e não de desagregação”, disse Jeová.

O deputado falou ainda sobre os arranjos produtivos da Paraíba que precisam de estímulo, através do financiamento, para se tornarem polos de desenvolvimento e de geração de emprego e renda. “Não é mais possível que 80% da renda de nosso estado se concentre na capital e na cidade de Campina Grande. Há vários APLs que poderiam estar em pleno desenvolvimento se lhes fosse dada as oportunidades, a exemplo dos arranjos produtivos de confecção, em Cajazeiras, de panelas, em Triunfo, de redes de São Bento, de fruticultura, em Sapé, da bacia leiteira, de Sousa, etc. Isso descentralizaria essa riqueza”, disse Jeová.

“A saída para fomentar o crescimento e desenvolvimento de uma região passa, necessariamente, pelo estímulo aos arranjos produtivos locais e isso só se faz com a disponibilidade de mão de obra especializada, com a instalação de indústrias e empresas e com o crédito para a ampliação ou instalação de novos negócios e é essa a visão que tem o Governo da Paraíba, por isso, estamos aqui para pensarmos em como estruturar esses arranjos produtivos”, afirmou Jeová, lembrando que isso é também um dos focos de atuação da Comissão de Desenvolvimento da Assembleia Legislativa.

Além do secretário Laplace e do deputado Jeová, compuseram a mesa de abertura da II Oficina Macrorregional Nordeste o diretor de Programas Regionais do Ministério da Integração Nacional, Amarildo Baesso, a representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Gabriela Marento, Helena Lastres, do BNDES, Marcos Santana, da Sudene, Paulo Fernandes Filho, da UFPB, Dilma Aquino, dos APLs da Paraíba e a presidente da PBTur, Ruth Avelino.

NEWS COMUNICAÇÃO

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *