Quadrilha explode agência bancária em Apodi (RN)


bb-apodi

A quadrilha de criminosos que explodiu a agência do Banco do Brasil na madrugada desta terça-feira (12) em Apodi, cidade da região Oeste do Rio Grande do Norte, levou cerca de R$ 800 mil. A estimativa é do delegado Renato Oliveira, que coordena as investigações. Segundo ele, havia aproximadamente R$ 1 milhão no banco.

“O Banco do Brasil de Apodi é grande. É a principal agência da região. Sem falar que estamos no período de pagamento de aposentados e pensionistas. A quadrilha sabia disso. Tanto que eles nem detonaram os terminais. A dinamite foi toda usada para arrombar o cofre principal da agência”, revelou. O Banco do Brasil do Rio Grande do Norte não dá informações sobre crimes que ocorrem contra suas unidades.

Ainda de acordo com o delegado, a gerência do Banco do Brasil está avaliando se o sistema de vigilância eletrônica gravou alguma imagem que possa identificar os criminosos. Câmeras de vídeo instaladas em residências ou em estabelecimentos comerciais próximos à agência também podem ajudar a polícia. “Vamos ver o que conseguimos, mas com certeza não será fácil. Os assaltantes sempre agem encapuzados, camuflados, e isso dificulta muito o trabalho da polícia”, ressaltou.

Sobre o dinheiro e cheques que foram levados por alguns moradores que entraram na agência logo após a explosão, o delegado disse que esta é uma outra situação, mas que também vai ser muito difícil identificar quem se apoderou de quantias.

Ao G1, o capitão Inácio Brilhante, comandante da Polícia Militar na cidade, disse que não deu pra impedir a invasão. “Estávamos em perseguição aos criminosos. Quando voltamos para isolar o prédio, já tinham carregado muito dinheiro e cheques que foram depositados nos terminais. Consegui pegar um saco cheio de notas e levei para a delegacia”, afirmou. O montante recuperado pela PM, de acordo com o delegado, foi de R$ 6.620.

Agência do Banco do Brasil na cidade de Apodi foi detonada com dinamite (Foto: Marcos Gil)
Agência do Banco do Brasil na cidade de Apodi foi
detonada com dinamite (Foto: Marcos Gil)

Policial baleado faz cirurgia em Mossoró

A ação criminosa em Apodi aconteceu por volta das 2h30. Houve intensa troca de tiros e um policial levou três tiros em uma das pernas. O soldado chama-se José Gurgel Pinto e estava de folga. “Quando começou o confronto ele saiu de casa e veio ajudar. Infelizmente acabou baleado”, disse Brilhante. “O policial foi socorrido para o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, onde passa por cirurgia”, acrescentou o capitão.

A ação

Um dos veículos usados pelo bando, uma Pajero, foi abandonado. Dentro, havia carregadores de fuzil, munição e garrafas com coquetel molotov. “Passamos mais de meia hora trocando tiros com eles. Foi um cenário de guerra”, afirmou o oficial.

O soldado Marcos Gil, que também participou da ação e filmou a troca de tiros (veja vídeo ao lado), contou que a polícia recebeu uma ligação alertando sobre a presença de veículos circulando pela cidade em atitude suspeita. Uma guarnição da PM foi verificar a informação e se deparou com parte da quadrilha. “Daí começou o confronto”, relatou.

A polícia acredita que a quadrilha fugiu com destino ao Ceará e faz diligências para tentar localizar os ciminosos.

Segunda vez

No dia 11 de julho deste ano, também em Apodi, a Polícia Militar encontrou em confronto com uma quadrilha armada. Na ocasião, segundo o próprio capitão Brilhante, mais de 10 homens encapuzados e armados com fuzis tentaram arrombar a agência do Banco do Brasil.

A ação aconteceu por volta das 2h30. Os criminosos estavam em dois carros, do tipo Pajero prata e um Golf preto. Segundo o capitão, os policiais de plantão observaram uma movimentação estranha através das câmeras de monitoramento da companhia de Policia Militar. Ao averiguar o que acontecia, os policiais foram surpreendidos por disparos. “Houve uma intensa troca de tiros, frustrando a ação dos bandidos, que empreenderam fuga deixando pra traz um coquetel molotov”, disse.

Momentos depois, a companhia foi informada que a agência do Banco do Brasil havia sido alvo dos suspeitos. As portas da agência estavam quebradas. Uma marreta e uma alavanca foram encontradas dentro do banco. Mas nada foi levado da agência. “Deu a entender que no momento em que um grupo tentou arrombar o banco, outros estavam em frente à Companhia para impedir a saída dos policiais”, colocou o capitão.

G1

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *