Cajazeiras-PB, 20/10/2017

Operação Andaime apreendeu mais de R$ 174 mil e cumpriu 10 mandados de prisão

PF-CAJAZEIRAS

Os dados preliminares da Operação Andaime apontam que todos os mandados de prisão e apreensão foram cumpridos em 16 prefeituras paraibanas. A operação conjunta da Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU), com o objetivo de apurar irregularidades em licitações e contratos públicos, em especial, montagem de procedimentos licitatórios e a “venda” de notas fiscais de empresas fictícias, em razão de obras e serviços de engenharia, cumpriu 10 mandados de prisão, quatro de condução coercitiva e 15 e sequestro de bens.

Foram apreendidos cinco veículos, sendo quatro carros e uma moto e um dos presos tinha munição em casa e arma na empresa onde trabalhava.

Todos os mandados foram expedidos pela 8ª Vara Federal da Seção Judiciária da Paraíba, nas Prefeituras de Cajazeiras, Joca Claudino, Bernardino Batista e Cachoeira dos Índios, bem assim nas sedes de empresas, residências de empresários, profissionais liberais e agentes públicos responsáveis por obras e serviços de engenharia custeados com recursos federais.

Participam da Operação Especial cerca de 90 Policiais Federais e 10 auditores da CGU.

Até o presente momento, as investigações indicam que a organização criminosa vinha atuando, pelo menos, desde 2009, desviando recursos federais através de irregularidades em licitações e contratos públicos, em especial a montagem de procedimentos licitatórios e a venda de notas fiscais. Os crimes também incluem lavagem de dinheiro através de empresa fantasma.

O procedimento investigatório criminal do MPF está embasado em relatórios de auditoria da CGU, informações policiais e relatórios de análise obtidos a partir do afastamento do sigilo de alguns investigados.

A operação foi denominada Andaime em razão das fraudes terem sido perpetradas no âmbito de uma empresa do ramo da construção civil, com a participação de diversos engenheiros e fiscais de obras das prefeituras.

PARAÍBA.COM.BR

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *