Cajazeiras-PB, 22/10/2017

Mariá Moreira, professora de gerações

maria-moreira

Nascida a 15 de fevereiro de 1918, no sítio Bom Jardim, teve o privilégio de ter sido a única dos onze filhos de João Antônio Moreira a estudar e concluir um curso de formação profissional.

No ano de 1927, com o apoio de Dom Moisés, colocou Mariá para estudar na escola da professora Vitória Bezerra, morando na casa do professor Crispim Coelho, por solicitação de seu irmão Dom Moisés Coelho que era amigo e padrinho de Mariá Moreira. A partir de 1929 ela passou a ser aluna externa do colégio Nossa Senhora de Lourdes, em Cajazeiras.

No ano de 1930 passou a estudar interna no Colégio Nossa Senhora de Lourdes, dirigido pelas irmãs Dorotéias. Imagine a dificuldade financeira do seu pai João Moreira, pois, quem pagava a mensalidade do colégio, para Mariá estudar era o seu padrinho Dom Moises Coelho e as despesas do internato o seu Pai.

A professora Maria Faustino Moreira colou grau no dia 25 de novembro de 1935, no Colégio Nossa Senhora de Lourdes (Dorotéias), numa turma de treze formandos. Foi a primeira Moreira a galgar uma graduação escolar e a primeira professora publica do Cipó.

Sabemos, também, que por ter sido aluna aplicada e de conduta exemplar, sempre era escolhida pela superiora, Madre Judite Fernandes, para representar o alunado nas solenidades cívicas da cidade de Cajazeiras. Tanto era assim que, no ano de 1932, por ocasião da visita do Ministro José Américo de Almeida, à Cajazeiras, Mariá foi escalada para saúda-lo em nome das alunas do Colégio.

Mariá Faustino Moreira (este era o nome de registro civil) colou grau como professora na Escola Normal das Dorotéias de Cajazeiras, no dia 25 de novembro de 1935. Estavam presentes: o Reverendíssimo Senhor Dom João da Mata Amaral, bispo diocese de Cajazeiras, Reverendo Padre Abdon Pereira, inspector federal junto ao Çolégio Padre Rolim, professor Hildebrando Leal, prefeito municipal, representando, no ato, o Exmo. Senhor Doutor Argemiro de Figueiredo, Presidente do Estado e paraninfo da turma concluinte, entre outras autoridades presentes.

Em nome das formandas discursou a concluinte Luci Cartaxo de Sá, pronunciando emocionante discurso.

Tomou-se, até aquela época, a primeira e única, dos 75 netos de Manoel Barbosa Moreira, a obter uma graduação escolar oficial.

A sagrada missão de educar de Mariá iniciou-se, no ano de 1936, na residência do seu primo, para onde ela foi para alfabetizar; a prole de Antonio Moreira da Costa, no sítio Santa Umbelina, da vila Belém, hoje a cidade de Uiraúna (PB).

Ainda em 1936 substituiu, na vila de Belém, numa escola’ de alfabetização, o Professor Jácome, por um período de 3 meses.

Já no ano de 1937, ela foi alfabetizar os seus sobrinhos, filhos de seu irmão Joaquim Guedes Moreira, no sítio Várzea, município de Souza (PB). Ainda no ano de 1937 retoma ao sítio Bom Jardim para lecionar na residência de seu primo e cunhado, João Moreira da Costa, conhecido por J oca Moreira.

O ano de 1937 foi de muitas alegrias e felicidades para a Professora Mariá. Naquele ano foi criada a Escola Rural do Cipó, que recebeu o nome de Escola Sant’Ana, em homenagem a sua tia Ana Moreira de Figueiredo (Donona) e Mariá foi nomeada Professora, pelo o então Presidente do Estado da Paraíba, Argemiro de Figueiredo, por interveniencia do então prefeito do município de Cajazeiras, Dr. Celso Matos. A partir dai ela instalou a Escola Sant’Ana na residência de sua tia Donona, onde passou a ministrar as suas aulas para uma grande população de crianças e adolescentes, na sua maioria seus familiares.

Todavia, o maior contentamento aconteceu com a Professora Mariá, no dia 21 de novembro de 1937, quando ela contraiu núpcias com Pedro Vieira Moreira, também, Professor concursado e habilitado para o ensino rudimentar e supletivo. Logo construíram, ali mesmo no Cipó, sua residência e ao lado um salão para abrigar a Escola Sant’Ana. Tiveram uma prole de nove filhos biológicos e uma filha adotiva. São eles: Maria do Socorro Moreira dos Santos, Maria Elizabeth Moreira, Maria Irismar Moreira Batista, Maria das Graças Moreira Vasconcelos, Maria de Jesus Moreira Cartaxo, José Francisco Moreira, José Maria Moreira, José Lázaro Moreira, José Vianey Moreira e Ana Paula Moreira.

Tive o privilegio e a felicidade, de ter tido, como a minha primeira mestra, na Escola Sant’Ana, a professora Maria Moreira onde iniciei a minha alfabetização.

Registre-se que o salão de aula foi edificado com recurso próprio. Daí conclui-se o grau de idealismo e de altruísmo da Professora Mariá, manifestado nessa atitude digna de construir a sala de aula com suas próprias economias, quando a obrigação era do Estado, com provedor da educação da sua população.

Devemos ressaltar que cada aluno levava o seu banco para escola e o giz usado na sala de aula era comprado pela Professora. Esta era a realidade vivida pela população dos sertões esquecidos e ignorados pelos govemantes, deste país, do inicio do século XX.

Exerceu o magistério ate 14 de maio de 1948 quando teve sua aposentadoria homologada pelo Governo do Estado da Paraíba, Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Melo, tendo assim passado a gozar a sua merecida aposentadoria.

No período de 18 a 21 de fevereiro de 2003 foi comemorado o jubileu de ouro da Associação das Ex-alunas das Doroteias de Cajazeiras, com a presença da presidente da Federação. Nacional das Associações das Doroteias, Carmem Vieira. Ressalte que no ultimo dia 15 deste mês a professora Mariá havia completado 85 anos narrando, com muita lucidez.tos fatos que permearam essa longa trajetória da sua vida, como professora, mãe, avó e esposa.

Este prédio foi construído com recursos próprios, para o funcionamento da Escola Rural Sant’Ana no sítio Cipó, onde a professora Maria Faustino Moreira ministrava as suas aulas.

Neste ano de 2008, a professora Mariá com 90 anos de idade, detentora, ainda, de uma lucidez invejável, lembra que os cursos oficiais daquela época eram: Primário, Admissão e Normal e as disciplinas ministradas eram: Aritmética, Álgebra, Português, Francês, Geografia, Historia, Pedagogia, Química, Física, Religião, Noções de Higiene e Civilidade.

Por ocasião dessas comemorações à professora Mariá foi homenageada e sua sobrinha, a poetisa e escritora Estelita Moreira, prestou, também, o seu tributo com estes expressivos versos:

“No olhar, está a pureza

No sorriso, a beleza,

No porte, a grandeza de ser feliz.”

Este é o perfil da professora Mariá Moreira a quem rendo, como minha primeira professora, as minhas sinceras homenagens.

ZUCA MOREIRA, MÉDICO, É EX-ALUNO DA PROFESSORA MARIÁ MOREIRA

SOBRE Christiano Moura

COMENTÁRIOS

  1. Marcos Antônii de Lima

    Procuro uma pessoa de nome Lazaro Moreira,que estudou em Campina Grande(dentre 1973_1974),tinha um irmão médico (pelo que minha mãe me contou),por toda história que acabo de ler da professora Maria Moreira,vejo que existe grande possibilidade de ela ser minha avó paterna. Minha mãe se chama Maria Lima da Silva,dois dos filhos dela tem os nomes que procuro(Lazaro Moreira,que séria meu pai),e o tio(Jose Moreira). Minha mãe contou que eles estavam pra se casar,mais que ela dexistiu em cima da hora,em Campina Grande(em um cartório),se for verdade um deles pode vir a confirmar.Não pretendo atrapalhar a vida de ninguém,a minha já foi um inferno por tudo que aconteceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *