Cajazeiras-PB, 11/12/2017
HOME » ESPORTES » Jogo da 2ª Divisão tem spray de pimenta e massagista no hospital

Jogo da 2ª Divisão tem spray de pimenta e massagista no hospital

SPARTAX

A partida entre Miramar e Spatax, que aconteceu no Estádio da Graça, na noite desta terça-feira, e terminou empatada por 2 a 2, foi marcada por muita confusão. Teve briga de todo jeito: entre torcedores; torcedores contra comissão técnica; jogadores dos dois times e, para terminar, até o representante da Federação Paraibana de Futebol (FPF) José Araújo e o presidente do Spartax, José Morais, quase saíram no tapa, mas foram separados.

Por causa do tumulto, a Polícia Militar usou spray de pimenta nos vestiários, e isso fez com que o massagista do Spartax, Carlos André, acabasse passando mal. Ele foi levado para um hospital de João Pessoa. Segundo informações do clube, o massagista sofreu um princípio de enfarte.

A confusão começou ainda na primeira etapa, quando torcedores do Miramar passaram boa parte do tempo provocando a comissão técnica do Spartax. Mas depois de rápida intervenção da polícia, tudo foi acalmado.

Os ânimos voltaram a se exaltar no fim do jogo. Ao sair de campo, atletas dos dois times começaram a discutir e, ao mesmo tempo, torcedores chegavam também aos vestiários. Para espalhar a multidão, a polícia usou spray de pimenta.

Por causa do gás, o massagista do Spartax, Carlos André, começou a passar mal e foi levado nos braços por jogadores para fora dos vestiários. Deitado na grama do lado de fora do campo, ele recebeu os primeiros socorros. De acordo com dirigentes do Spartax, Carlos André foi levado para a UPA de Manaíra com princípio de enfarte.

Para finalizar a noite de brigas, o presidente do Spartax, José Morais, acusou o diretor técnico da FPF, José Araújo, de “inflamar o ambiente”.

– O representante da FPF que está aqui hoje, em vez de manter o autocontrole e tentar contornar a situação, ficou fazendo acusações. Primeiro, para nossa equipe, e depois para as duas, inflamando todo o ambiente. E eu fui pedir para ele manter a calma, já que eu tinha o meu massagista passando mal, tínhamos coisas mais importantes para tratar do que a reclamação dele – disparou Morais.

José Araújo se defendeu dizendo que os jogadores investiram contra ele.

– Ao término do jogo, dois atletas saíram discutindo. Nós chegamos para pedir calma, e outros atletas começaram um tumulto generalizado. Foi quando a polícia interveio. Mas o dirigente do Spartax disse que fomos nós que tumultuamos. Eu achava que eles seriam mais corteses. Entretanto, investiram contra mim. Ao ver essa situação, eu disse que eles não eram atletas e sim moleques. No fim, quiseram transferir a responsabilidade para a arbitragem, uma prática normal do futebol paraibano – retrucou.

O jogo abriu a rodada dupla da chave do Litoral e é válido pela segunda divisão do Campeonato Paraibano.

GLOBOESPORTE.COM

SOBRE Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *