Cajazeiras-PB, 17/12/2017
HOME » SAÚDE & BEM-ESTAR » Índice de infestação do Aedes aegypti em Cajazeiras atingiu 11,2%

Índice de infestação do Aedes aegypti em Cajazeiras atingiu 11,2%

Iniciados os trabalhos em (30) de janeiro a (03) de fevereiro de 2017 como o 1° Ciclo e, nível geral de infestação de 11,2%, o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRA), através da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde e do Ministério da Saúde, que preconiza como índice satisfatório de 1 %, tem registrado no curso deste ano baixas consideráveis nos bairros de Cajazeiras.

Mesmo assim, a situação ainda é preocupante e a população precisa continuar colaborando para evitar grandes surtos das doenças transmitidas pelo mosquito, principalmente a partir do momento em que começar o período chuvoso na região. Recentemente a cidade passou por uma verdadeira epidemia de Chikungunya. Ainda hoje exis-
tem pessoas com sintomas da doença que provoca dores pelo corpo, principalmente nas articulações, como joelhos, pés, dedos e punhos. Já em relação a zica, a preocupação é com mulheres grávidas, tendo em vista que os bebês podem desenvolver microcefalia.

Com os altos números em mãos, a Coordenação de Vigilância Ambiental intensificou as ações visando minimizar o quadro que se apresentava naquele momento. Cobrindo todas as áreas urbanas do município com visitas diárias dos
Agentes Comunitários de Edemias (ACE) orientando a população e tratando os depósitos no prazo estabelecido pelo Ministério da Saúde, além borrifação nas residências em pontos estratégicos.

Portanto, no 2° ciclo de levantamento, foi registrada uma queda para 4,1 %. Em 03/07 no 3° ciclo, mais uma queda, o levantamento registrou 3,8%.

Por fim, o 4° e último ciclo foi concluído em (27/10) com uma baixa ainda maior, com índice geral de 2,0%. É notório que os dados apresentados pela Coordenação de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde de Cajazeiras, têm registrado em queda livre o número de casos onde o mosquito Aedes Aegypti é o principal causador, tais como: dengue, zika vírus e chikungunya.

Com quarenta agentes, a Coordenação de Vigilância Ambiental tem a frente Joatan Freire, Hênio Rocha e Geilson César.

SOBRE Gazeta do Alto Piranhas

4 COMENTÁRIOS

  1. Ma Daguia Albuquerque de morais

    Ué houve um equivoco no titulo da matéria não? Pois no inicio fala que no 1° ciclo do LIRAa é que o índice foi de 11,2% já no final diz que o 4º ciclo o índice está em 2,0% no final do mês de outubro ou melhor dias atuais, portanto desta forma o titulo certo para a matéria seria: “Índice de infestação do Aedes aegypti em Cajazeiras ERA de 11,2%”.

  2. Geilson Rolim Cesar

    A manchete da matéria está tendênciosa, o índice de 11,2% que foi constatado nos primeiros dias de Janeiro reflete o vinha acontecendo na gestão anterior, hoje Cajazeiras encontra-se com Índices baixissimos jamais alcançados na sua história é visível e notório que os casos de dengue, zika e chikungunya desapaceram este ano.

  3. Geilson Rolim Cesar

    Portanto ERA e não É ficaria mais plausível.

  4. Cicera Santos

    Acredito que houve um equivoco no título da matéria ao invés de: É de 11,2%. Para FOI ou ERA de 11,2%. Cuidado com credibilidade do site, vai que o cidadão leia apenas a manchete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *