Cajazeiras-PB, 20/10/2017

Frente Parlamentar da Água inspeciona obras da transposição do São Francisco

boa vista duas

A Frente Parlamentar da Água, da Assembleia Legislativa da Paraíba, inspecionou nesta sexta-feira (20) as obras da Transposição de Águas do Rio São Francisco no município de São José de Piranhas, numa extensão de 20 quilômetros. Seis deputados visitaram as obras na companhia de prefeitos da região. Os deputados farão um relatório sobre o que constataram e solicitarão ao Ministério da Integração Nacional um termo aditivo para que as obras possam chegar até ao açude Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras. A comitiva cruzou o túnel Cuncas II, com quatro quilômetros de extensão.

A Frente Parlamentar da Água vai trabalhar integrada com a bancada federal paraibana e até com estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, que também se utilizarão das águas da transposição. A proposta do ativo ao contrato atual é para se acelerar as obras porque se for abrir nova licitação com outra concorrência, esse processo se prolongaria por pelo menos dois anos. O açude Engenheiro Ávidos tem capacidade de acumular 255 milhões de metros cúbicos d’água e hoje está com cerca de 10% desse volume.

O presidente da Frente Parlamentar da Água, deputado Jeová Campos, avaliou que a visita foi produtiva “Viemos conhecer a obra para que, a partir de agora, possamos cobrar do Governo Federal celeridade. A gente deve trabalhar a possibilidade junto ao Ministério da Integração Nacional para que a mesma empresa que hoje avança com a obra também execute as obras do canal de 13 quilômetros até o açude Engenheiro Ávidos”, destacou. O deputado afirmou que será feito um estudo jurídico para viabilizar essa proposta.

Jeová Campos sugeriu que representantes da bancada federal paraibana e da empresa também participe da audiência pública que será no dia 17 de abril na Assembleia Legislativa objetivando mobilização e debate para encontrar soluções. Jeová Campos, após liderar a visita à transposição, presidiu audiência pública na Câmara Municipal de Cajazeiras tratando das questões relacionadas à crise hídrica na Paraíba. Ele acrescentou que cada um dos deputados custeou suas despesas na viagem.

Para o deputado Galego Souza, a transposição de águas do São Francisco é uma grande obra em execução e acredita que após sua conclusão beneficiará a Paraíba. Porém, comentou que falta contemplar o açude Engenheiro Ávidos e também defende que aja mais celeridade nas obras pois a escassez de água está preocupante.

Na opinião do deputado Janduhy Carneiro, a Frente Parlamentar deve buscar a audiência no Ministério da Integração com o objetivo de “cobrar para a Paraíba o mesmo tratamento que o governo federal tem dado aos estados de São Paulo e Minas Gerais, pleiteando a liberação de mais recursos para nosso estado”.

De acordo com o deputado Renato Gadelha, o ritmo das obras está acelerado com previsão de conclusão em novembro. No entanto, destacou também a importância do trecho até a barragem Engenheiro Ávidos e sugeriu que a Frente também visite também outros trechos das obras nos demais estados.

Para o deputado frei Anastácio, a integração entre governo do estado, governo federal, bancada federal, e deputados estaduais é fundamental para a conclusão da obra que “está em bom andamento e deve ser concluída”. “A obra é prioritária e a Frente Parlamentar da Água está empenhada em divulgar a transposição, dar visibilidade aos trabalhos porque a população precisa conhecer, além disto tenho certeza que a presidenta Dilma vai atender o pleito da Paraíba”, comentou.

O vice-prefeito de São José de Piranhas, Marcos Campos,destacou que a transposição será a redenção para a região. Também visitaram as obras a prefeita de Monte Horebe, Claúdia dias, a secretária de Políticas Públicas da cidade de Cajazeiras, Josefa Campos, dentre outras autoridades. Iniciada no ano de 2009, a transposição de águas do Rio São Francisco está orçada em R$ 8 bilhões.

A obra – O lote 7 da transposição de águas do São Francisco no território paraibano compreende o túnel Cuncas II, barragens e canal. Essa obra no Estado tem investimentos totais de R$ 650 milhões, emprega 1.880 operários e utiliza centenas de máquinas pesadas além de 360 caçambas. A previsão é de os trabalhos sejam concluídos em novembro deste ano. A barragem Boa Vista tem parede com 880 metros de extensão e 56 metros de altura e capacidade para acumular 215 milhões de metros cúbicos d’água.

Acompanharam a visita os prefeitos Francisco Dantas Ricarte (Riacho dos Cavalos), Claudia Dias (Monte Horebe), Emanuel Messias (Santa Helena), além de vereadores e lideranças comunitárias da região. O agricultor João Simão, 74 anos, conhecido por Janoca, mora na comunidade Terra Molhada, no município de São José de Piranhas, acredita que a transposição resolverá o problema da água no sertão paraibano mas pede que as obras avançem e sejam finalmente concluídas.

ASSESSORIA

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *