Engenho de cana-de-açúcar mantém tradição no Riacho do Meio

108

A reportagem do site Alto Sertão esteve na comunidade do Riacho do Meio, zona rural, distante 18 Km do município de Cajazeiras, onde presenciou a tradicional moagem da cana-de-açúcar, de forma rudimentar, onde se fabrica rapadura, batida, alfenim e mel de engenho da melhor qualidade.

Uma tradição que há mais de um século é mantida de pai para filhos, envolvendo toda uma comunidade que gira em torno de 100 famílias e quase 500 habitantes. Tudo em prol da permanência  de um dos últimos engenhos de cana de açúcar existentes na região do semi-árido nordestino.

[ads2]

 

Durante o período da moagem, cada trabalhador recebe por diária um valor entre R$ 60 e R$ 100. O trabalho temporário envolve cerca de 30 pessoas, entre homens e mulheres da comunidade.

Para seu Otácio Pessoa de Abreu, ”a manutenção do engenho é uma questão de honra, até mesmo porque dos doze que existiam na região, restam apenas dois, ambos situados na comunidade de Terra Molhada e o nosso aqui, no Riacho do Meio”.

Seu Otácio ainda lembra bem desde quando o engenho era puxado à carro de boi, até a modernidade com o trabalho sendo feito com energia elétrica.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.