Cajazeiras-PB, 19/11/2017
HOME » PARAÍBA » Dos 3,9 milhões residentes na Paraíba, 357 mil migraram de outros Estados

Dos 3,9 milhões residentes na Paraíba, 357 mil migraram de outros Estados

MIGRANTES_600x423

Quase 10% da população residente na Paraíba é composta por pessoas nascidas em outras unidades da federação, mas que escolheram o Estado para viver. Dos 3,9 milhões residentes na Paraíba, 357 mil (9,1%) migraram de outros Estados, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2013 (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número de migrantes na Paraíba cresceu 54,5% nos últimos 12 anos, saindo de 231 mil, em 2001, para 357 mil, no ano passado. Para especialistas, o fato de cerca de 67% dos migrantes serem provenientes de outros Estados da própria região Nordeste, chama a atenção.

Segundo a doutora em Economia, com experiência na área de Economia Regional com ênfase na área de migração, e professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Liédje Siqueira, o maior número de migrantes da Paraíba vem de Pernambuco, com 148.223 pessoas. “Em termos percentuais, isso representa 41% do total de migrantes. O nosso segundo maior fluxo, dentro da região, vem de outro Estado de divisa, o Rio Grande do Norte, com 40.532 pessoas, o que representa cerca de 11% do total da migração”, avaliou.

O estudante Artur Sá, 27 anos, está entre os potiguaras que escolheram a Paraíba para residir. Ele veio cursar publicidade, em João Pessoa. Recentemente graduado, não pensa em retornar para o Rio Grande do Norte. “Vou procurar me estabilizar profissionalmente aqui. Caso não tenha êxito, aí sim é que deverei pensar em retornar pra casa. Por enquanto, Rio Grande do Norte é só para lazer e rever familiares nos finais de semana”, declarou.

Fora da Região Nordeste, a especialista Niédje Siqueira, afirmou que o Sudeste aparece como a segunda região que mais enviou pessoas para a Paraíba. “Os números apontam que cerca de 13% dos migrantes são naturais de São Paulo e 11% são provenientes do Rio de Janeiro”, observou.

A especialista em migração disse que a maioria das pessoas que escolheram a Paraíba no último ano para morar é composta por mulheres. Ao total, são 186.860 mulheres, cerca de 52% dos migrantes, contra 170.385 homens, aproximadamente 48%. São pessoas adultas, com a média de idade de 38 anos. “Já a escolaridade média deste grupo gira em torno de 7,2 anos de estudo para pessoas acima de 10 anos. Este valor é superior à escolaridade média do paraibano que é de 6,4 anos de estudos para este mesmo grupo de referência. Em termos de renda, verificamos que a renda média desses migrantes, com 10 anos ou mais, gira em torno de R$ 900 reais, enquanto para os naturais do Estado este valor corresponde a R$ 697,00”, frisou.

Com base nessas informações, Niédje Siqueira destacou que percebe-se que os migrantes são em média mais escolarizados e ganham mais do que os paraibanos naturais. Esta pode ser a justificativa para explicar a permanência desse público na Paraíba, “a possibilidade de encontrar melhores condições de empregos e salários do que nos seus Estados de origem”.

PARAIBANOS
Em outro cenário, o Pnad 2013 revela que percentual de paraibanos que migraram para outras partes do país é superior ao de brasileiros que residem na Paraíba. Enquanto no ano passado o Estado recebeu 9,1% da população de outras regiões, 28,6% dos paraibanos foram acolhidos em diferentes Estados. Do total de mais de 4,9 milhões de naturais da Paraíba, quase 1,5 milhão (1.430.000) migraram para outros lugares da federação.

Para a especialista, historicamente é comum sair mais pessoas do Nordeste, por questões de emprego, que são mais favoráveis em outras partes do país, “por isso há uma troca desigual de migrantes”.

JORNAL DA PARAÍBA

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *