Cajazeiras-PB, 12/12/2017
HOME » COLABORADORES » [CLEMILDO BRUNET] As secretárias, nossas heróinas

[CLEMILDO BRUNET] As secretárias, nossas heróinas

secretariado_internacional_601x365

30 de setembro celebra-se o Dia da Secretária.

Curiosidade é o motivo pelo qual essa data foi reconhecida. Veio em decorrência do invento da máquina de escrever por Christopher Sholes e em razão de sua filha Lilian Sholes, que nasceu em 30 de setembro de 1850, testar o invento, tornando-se a primeira mulher a escrever numa máquina, em público. O Dia da Secretária teve sua origem por ocasião do centenário do nascimento de Lilian Sholes, quando os fabricantes de máquinas de escrever fizeram diversas comemorações. Entre elas, concurso para escolha da melhor datilógrafa.

Secretária é aquela pessoa que se dedica de corpo e alma ao exercício da profissão com muito desvelo e carinho no que faz. É ela quem cuida da agenda, das correspondências, anotações e sabe mostrar sua habilidade no modo como trata as pessoas que a procuram em busca de alguma informação ou que necessitem de seus préstimos. É um agente que tem que investir no crescimento e na harmonia pessoal e das tarefas que a profissão exige.

Atributos ou critérios indispensáveis a secretária é que ela seja discreta. Simpática, dedicada, paciente, objetiva. Que tenha conhecimento e sensibilidade, pois essas virtudes fazem parte de um todo e a enquadra como uma profissional eficiente. A própria origem da palavra contém um que de cumplicidade. Acredita-se que surgiu do latim:

Secretarium: que significa lugar retirado, conselho privado.

Secretum: cuja tradução é retiro, solidão.

Secreta: particular, segredo.

Provavelmente, o tempo se encarregou de fixar a grafia e modificar o sentido original da palavra. Mas a característica de particular, confidencial, a profissão mantém até hoje.

Sabe-se que a origem da profissão não pode ser conhecida com precisão, tão pouco determinar uma data exata. Os primeiros registros de secretária datam dos tempos dos Faraós, e era exercido pelo sexo masculino, na figura dos escribas.

O escriba ou escrivão era a pessoa na antiguidade que dominava a escrita e a usava para, a mando do regente, redigir as normas do povo daquela região ou de uma determinada religião. Ele fazia contas, classificava os arquivos e redigia as ordens, bem como recebê-las por escrito e, por conseguinte, era naturalmente encarregado por sua execução.

Tempos depois, com a Revolução Industrial, volta a aparecer a função de secretário e, após as duas guerras mundiais, por falta de mão-de-obra masculina, que fora direcionada para os campos de batalha, houve o surgimento da figura feminina bastante atuante na área, na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil, a mulher surge como secretária na década de 50. Nessa mesma época, houve a implantação de cursos voltados para a área como, por exemplo, técnico em secretariado.

 

BREVE HISTÓRICO

Nos anos 50: com a chegada das multinacionais, executando algumas técnicas como: datilografia, taquigrafia, organização de arquivos, anotações de recados e atendimento telefônico.

Anos 60: inicia-se o treinamento gerencial, e ter uma secretária passa a ser status iniciando-se assim uma valorização da secretária por parte dos empresários brasileiros. Em 1969, é criada a Universidade Federal da Bahia o 1º curso de Secretariado Executivo do Brasil.

Na década de 70 a secretária passa a ser membro ativo na gerência.

Nos anos 80 a secretária é assessora. Nesta época, a categoria conseguiu, por meio de muita luta, a regulamentação da profissão, com a assinatura da lei nº 7.377, de 30/09/1985. Com a regulamentação, a classe ganhou força, surgindo os sindicatos das secretárias. Em 1988, foi criada a Fenassec – Federação Nacional de Secretárias e Secretários em Curitiba, Paraná. Em 7 de julho de 1989 é publicado o Código de Ética Profissional, criado pela União dos Sindicatos.

Na década de 90 presenciou-se um dos melhores momentos da profissão de secretária que se caracteriza, como uma figura importante na empresa, pois, com o advento dos recursos tecnológicos, mudou-se a forma de trabalhar no escritório, as organizações passaram a buscar intensamente a qualidade total e a valorização dos clientes. Segundo Ribeiro, “Tais transformações ocorreram principalmente com a introdução da reengenharia que redefiniu o papel dos que secretariavam, atribuindo a este, mais autonomia nas execuções das tarefas”.

No ano 2000, que o secretário seja empreendedor, assessor, executante, polivalente e que tenha uma visão holística.

O trabalho da secretária mudou muito com o decorrer do tempo. Se antes precisava ser uma exímia datilógrafa e fazer exatamente o que o chefe pedia, hoje ela assume uma posição mais independente, tomando decisões e peneirando o que deve ou não chegar às mãos da chefia. A datilografia e a taquigrafia foram deixadas para trás e substituídas pelas novas tecnologias.

Outro aspecto que também mudou foi à clássica divisão entre secretária júnior (iniciante), plena (meio de carreira) e sênior (executiva). Algumas empresas podem até usar as denominações, mas a verdade é que atualmente mesmo uma simples estagiária já pega um volume de trabalho compatível com o de uma profissional.

A moderna secretária é praticamente uma assessora da presidência ou diretoria para a qual trabalha. Além de gerenciar a qualidade das atividades que desenvolve na empresa, também administra a vida e a agenda particular dos executivos. Logo, trata-se de uma tarefa de extrema confiança, que exige discrição absoluta.

Seria tão bom que as empresas privadas ou públicas reconhecessem o valor da secretária e dessem a devida atenção ao seu trabalho. Ela é responsável por diversas tarefas administrativas necessárias ao correto funcionamento da empresa. Faz parte do seu cotidiano em suas funções, atender, filtrar e passar telefonemas. Marcar e preparar reuniões e entrevistas, fazer despachos das correspondências, contactar clientes, organizar e manter os ficheiros e processamento de textos.

Parabenizo mais uma vez as secretárias pelo seu dia, desejando todo sucesso do mundo na carreira que abraçaram. São nossas heroínas!

Salve 30 de setembro, DIA DA SECRETÁRIA!

ART_CLEMILDO

 

SOBRE CLEMILDO BRUNET

CLEMILDO BRUNET

Radialista e jornalista em Pombal-PB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *