Cajazeiras-PB, 20/10/2017

‘Nós vamos fazer uma reforma ampla’, diz Cássio Cunha Lima

CASSIO-G1

“Nós vamos fazer uma reforma ampla no Estado” declarou Cássio Cunha Lima, candidato a governador da Paraíba pelo PSDB. A afirmação foi feita pelo tucano no primeiro dia da série de entrevistas que o G1 promove com os candidatos que disputam o segundo turno das eleições 2014. (Reveja acima a entrevista na íntegra)

Cássio Cunha Lima disse ainda que uma possível vitória de Aécio Neves para a Presidência da República facilitaria a execução de projetos estruturantes como portos, refinárias e fábricas de automóveis no Estado, lembrando a parceria entre o ex-presidente Lula e Eduardo Campos (ex-governador de Pernambuco), que possibilitou maior crescimento econômico ao estado vizinho, Pernambuco. “É a vez da Paraíba. Está ao alcance de nossas mãos”, afirmou.

Durante os 20 minutos de entrevista com perguntas de internautas, enviadas pelas redes sociais e pela ferramenta VC no G1, o candidato do PSDB falou sobre a pensão que ele recebe como ex-governador do Estado. Cássio também respondeu perguntas sobre expansão da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), sobre investimentos para o turismo e obras estruturantes para o estado.

Segundo Cunha Lima, não há ilegalidade na acumulação dos salários de senador e a pensão de ex-governador. O candidato disse que, em decisão recente, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou que a acúmulo dos valores não é irregular. “O recebimento da pensão é legal, inclusive, em recente decisão o Supremo Tribunal Federal decidiu que pode haver, inclusive a acumulação, e se ilegalidade existisse, a ilegalidade partia do próprio governo que paga a pensão”, disse.

Mais cedo, em entrevista de seis minutos ao telejornal JPB 2ª Edição, exibido em rede pelas TVs Paraíba e Cabo Branco, afiliadas da Rede Globo, Cássio Cunha Lima respondeu às perguntas feitas pelos apresentadores Edilane Araújo e Carlos Siqueira. No primeiro momento, o candidato comentou sobre o resultado das eleições no primeiro turno, segundo Cunha Lima houve um “uso indiscriminado da máquina pública.”

Cunha Lima também fez críticas ao atual modelo de saúde pública do estado e falou sobre uma possível privatização da Cagepa. O candidato disse ser contra a privatização da água, mas defendeu parcerias público-privadas para o tratamento de esgotos.

Na terça-feira (14), o candidato do PSB à reeleição, Ricardo Coutinho será o entrevistado do JPB 2ª edição e do G1.

G1

SOBRE G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *