Cajazeiras-PB, 18/11/2017
HOME » PARAÍBA » Cássio prevê posse de Eduardo Cunha, após cassação de Dilma e de Temer no TSE Comente

Cássio prevê posse de Eduardo Cunha, após cassação de Dilma e de Temer no TSE Comente

CassioAtoCruz300

Em discurso feito na tribuna do Senado na noite passada, o senador paraibano Cássio Cunha Lima, líder do PSDB, tratou Dilma Rousseff como uma presidente em estado terminal. Lembrou que o empreiteiro-delator Ricardo Pessoa, dono da UTC, vai depor em 14 de julho na ação em que o TSE investiga se houve irregularidades na campanha da presidente petista. E relatou o cenário esboçado pelo tucanato:

“Acreditamos firmemente que, já no próximo semestre, haverá o julgamento que poderá cassar o diploma da presidente Dilma Rousseff e o do vice-presidente Michel Temer. Assume, pelo comando constitucional, por três meses, o presidente da Câmara.” Nesse vaticínio, Eduardo Cunha teria 90 dias para convocar novas eleições, como prevê a Constituição para os casos de interrupção dos mandatos executivos nos primeiros dois anos de governo.

“O que o PSDB defende são novas eleições”, afirmou Cunha Lima. “O próprio ex-presidente Lula poderá disputar. Ele vai poder se submeter à soberania do povo brasileiro. É isto o que nós queremos: novas eleições.”

Cunha Lima foi à tribuna para rebater críticas que o líder do PT, senador Humberto Costa, fizera mais cedo. Irritado com o apoio do PSDB às manobras regimentais patrocinadas por Eduardo Cunha para aprovar a redução da maioridade penal na Câmara, Humberto dissera que o tucanato rendera-se à tática do “quanto pior, melhor”, abandonando inclusive o apreço que tinha pela responsabilidade fiscal. “Virou agora um grupo que vota por medidas de estouro das contas públicas e que aplaude pautas que se propõem a levar o país à bancarrota.”

Em resposta, o líder tucano insinuou que falta nexo ao seu antagonista. Recordou que na véspera, ali mesmo, no plenário do Senado, fora aprovado por unanimidade o projeto que concede aos servidores do Judiciário reajuste médio de 59,5%. O custo para o Tesouro foi estimado em mais de R$ 25 bilhões em quatro anos. Todos sabem que Dilma terá de vetar. A despeito disso, Humberto foi ao microfone para liberar os votos da bancada do PT.

“Durante toda a sessão, e ela foi transmitida ao vivo pela TV Senado, o senador Humberto Costa e outros membros do PT encaminharam contra a matéria, dizendo que ela teria um grande impacto. Surpreendentemente, na hora de votar a matéria […], qual foi o encaminhamento que o líder do PT no Senado, Humberto Costa, fez? Liberou a Bancada. Tanto é que o placar registrou 62 votos ‘sim’ e nenhum voto ‘não’. Está registrado.”

“Na prática”, ironizou o líder tucano, “o PT contribuiu para que a matéria que ele disse que era uma irresponsabilidade fosse aprovada à unanimidade.” Cunha Lima atribuiu as críticas de Humberto ao desespero. E parafraseou seu pai, Ronaldo Cunha Lima, dedicando ao governo petista um raciocínio que era dirigido ao regime militar. “O governo do PT não será derrubado porque ele não é uma estrutura, ele será limpo com benzina, porque é uma mancha.”

Como se vê, está encarniçado o embate no Senado.

BLOG DO JOSIAS DE SOUZA

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *