Cajazeiras-PB, 21/10/2017

Bancada governista vota contra servidores estaduais na ALPB

Painel

O deputado Carlos Batinga (PSC) lamentou, nesta terça-feira (29), a postura dos deputados da situação, que reprovaram, durante votação na sessão plenária da Assembléia Legislativa da Paraíba (ALPB), projeto de Lei 1.610/2013, de sua autoria, propondo a redução de jornada de trabalho para os cargos de psicólogos, nutricionistas e farmacêuticos nas instituições públicas estaduais. Batinga fez duras críticas ao comportamento do líder do Governo na ALPB, deputado Hervázio Bezerra.

Batinga destacou que no Brasil a luta pela redução da jornada de trabalho não é nova e vários órgãos, a exemplo da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e o próprio Governo Federal já aprovaram a redução para diversas categorias, como enfermeiros, assistente sociais, médicos, médicos veterinários, mas “infelizmente os deputados da bancada da situação na ALPB vetaram o benefício para os servidores públicos estaduais”.

“Em todos estes casos, os projetos foram de iniciativa do Legislativo. Infelizmente, na Casa de Epitácio Pessoa os parlamentares da bancada da situação se posicionam contra o funcionalismo público”, afirmou.

O deputado lembrou que a matéria já havia sido aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas, segundo ele, por exigência de Hervázio Bezerra, toda a bancada situacionista votou contra o projeto. “Todo o clima era para a aprovação, mas devido a uma orquestração do líder Hervázio Bezerra a matéria foi reprovada. O curioso é que com a reprovação Hervázio se posiciona contra também a sua própria classe, já que é psicólogo”, alfinetou.

Batinga disse que fotografou o painel eletrônico da ALPB no momento da votação e irá encaminhar a todos os órgãos de classe a imagem com os nomes dos deputados que votaram contra a matéria. Segundo ele, este é mais um presente de grego que os aliados do Governo dão aos servidores públicos estaduais na Casa de Epitácio Pessoa.

“O governador diz que os servidores públicos estaduais terão toda uma semana de comemoração, em alusão ao dia 28 de outubro, com ações de valorização e qualificação, mas o que vermos são atitudes como estas do seus aliados”, sustentou.

Os deputados que votaram contra a redução de jornada de trabalho para psicólogos, nutricionistas e farmacêuticos foram: Antonio Mineral, Assis Quintans, Branco Mendes, Carlos Dunga, Doda de Tião, Domiciano Cabral, Gilma Germano, Hervázio Bezerra, Iraê Lucena, João Gonçalves, João Henrique, Jutay Menezes, Lea Toscano, Lindolfo Pires, Mikika Leitão e Monaci Marques.

WSCOM

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *