A simplicidade de Agostinho

Personagens que fizeram e que fazem a história de Cajazeiras

COISAS DE CAJAZEIRAS
AGOSTINHO OLIVEIRA DE SOUSA (FOTO: ACERVO PESSOAL)

A trajetória de Agostinho Oliveira de Sousa tem origem no Sítio Patamuté, núcleo da família Martins / Oliveira, onde nasceu em 1 de agosto de 1925, viveu sua infância, adolescência e juventude, estudou na escola do seu tio, o conhecido professor e mestre Paulo Martins, tornou-se agricultor, constituiu família e onde, profundamente identificado com sua terra, sua gente e suas tradições culturais, gostava de participar dos novenários, festas de casamento, batizados e das cantorias da violeiros que tanto dignificam a nossa cultura e literatura de cordel.

Homem de muita fé em Deus e sensível à dimensão do social, efetuou a doação dos terrenos onde fora construída a Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e edificado o Grupo Escolar do Patamuté que recebeu o nome de seu pai José Martins de Oliveira.

Há muitas décadas, viera, com a família, morar em Cajazeiras, onde trabalhou na empresa do Major Galdino Pires Ferreira e, posteriormente, na firma Cavalcanti Primo. Sua personalidade marcada com inclinação para o bem e seu amor ao próximo contribuíram para o exercício de outras atividades: presidente da Conferência São Vicente de Paula, sócio-fundador do Abrigo de Idosos Luca Zorn e presidente do Círculo Operário de Cajazeiras, durante o período de doze anos.

Com sua amada esposa Terezinha Cavalcanti de Oliveira, a quem chamava carinhosamente de Têca, viveu 68 anos de um casamento muito feliz que lhe dera seu querido filho Ivan, sua dedicada nora Alcineide e seus afetuosos netos Michel e Aline.

Agostinho faleceu em 4 de abril de 2018, deixando um valoroso legado: exemplo de simplicidade, cidadania, integridade, honradez, fé e solidariedade ao próximo.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *