A Faisqueira do Gazeta

57

O bispo da bomba  Dom Zacarias Rolim de Moura, neste dia 08 de dezembro, se vivo estivesse completaria 80 anos de ordenação sacerdotal e que, em 02 de julho de 1975, escapou de morrer da explosão da bomba do Cine Apolo Onze, fato que será contado em breve através de um filme que estaria em estudos para ser realizado.

Ivan, o esquecido  Um dos filhos mais ilustres de Cajazeiras, o ex-governador e ex-deputado estadual e federal Ivan Bichara Sobreira (in memorian), completa  100 anos de seu nascimento, em 24 de maio de 2018. Ivan não tem sequer uma rua em nossa cidade com o seu nome e este fato reforça a tese que Cajazeiras tem sido uma carrasca madrasta com seus grandes filhos. Oh carrazera boa!

Volta ao fogão de lenha  Muitos agricultores, que num passado recente, resolveram migrar para a cidade, hoje por não suportarem mais pagar aluguel de casa, bujão de gás de 60 reais, energia acima de 100 reais estão regressando para a zona rural e tocando fogo na panela de feijão com lenha de jurema.

Quinze nomes na lista  Dos quinze nomes que estariam numa lista, marcados para morrer, sete já foram executados a tiros de revolver, calibre 38. Esta relação estaria na mão de cada um e o mais experto deverá sobreviver para contar a história. Cajazeiras vive hoje esta história de violência que envolve tráfico e consumo de droga e vingança, que já tem um número recorde de assassinatos em 2017: 16 mortes. Os conhecidos “Bodegas” estão nas duas listas: dos que morreram e de acusados de matar. Essa briga vai longe.

Morte anunciada pelo Watsap  A Polícia Civil de Cajazeiras anda atrás de um menor de idade que fez a seguinte postagem pelo watsap: “pai faz, mãe cria e nós mata” e ainda colocou a fotografia do futuro defunto. Essa onde de violência, com seguidos crimes, que a cidade de Cajazeiras vive nos atuais dias, envolvem muitos menores. Só Jesus na causa.

Sem barulho  Possivelmente a passagem do ano novo, como foi prometido no inicio da gestão de Zé Aldemir, prefeito de Cajazeiras, poderá não ter uma banda, luzes e fogos para festejar a chegada de 2019. Zé fez duras criticas porque Denise não colocou, em 2016, na passagem do ano, em praça pública, sequer um zabumba e uma vela acesa. Tudo leva a crer, devido a crise, que este ano o silêncio e a escuridão serão maiores ainda.

A história se repete?  Já foi dito nesta coluna que um dos possíveis erros de Zé Aldemir teria sido o de alimentar publicamente, antes mesmo de tomar assento na cadeira de prefeito, da candidatura a deputada estadual de sua esposa Paula Meireles. Fato desta natureza a história registra num passado recente, quando Léo Abreu abraçou a candidatura de Vituriano e deu no que deu. Ainda é tempo de espantar os urubus e fazer uma correção de rota.

Demitidos  A crise acendeu uma luz vermelha no caminho da gestão do prefeito de Cajazeiras, médico Zé Aldemir, e foi preciso demitir os contratados e quase a totalidade dos comissionados. Criticado por proceder da mesma maneira que Denise, nos anos de sua gestão, mas deu de ombros para os adversários e de uma só canetada resolveu parte do problema. Com esta medida vai economizar alguma “mufufa” e tentar equilibrar as finanças. Cada é que sabe aonde o sapato aperta.

Puxando brasas para sua sardinha  Dra. Paula Meireles tem sido muito inteligente e sábia e isto ficou demonstrado sobejamente com relação à cidade de Uiraúna. Em discurso demonstrou conhecer a história de seu povo, elogiou vários filhos ilustres, colocou o prefeito Bosco Fernandes acima das nuvens e de quebra ainda como secretaria de saúde quer ampliar o compartilhamento das ações de saúde com Uiraúna, já que Cajazeiras é a cidade reguladora. Com tantas brasas, suas sardinhas num instante, ficaram assadas.

Aonde você for, vou atrás   Quando a imprensa noticia que o prefeito de Cajazeiras, Zé Aldemir, viajou para Brasília, pode ter a certeza que levou em sua companhia a secretaria de saúde, Dra. Paula Meireles. É que são muitos os gabinetes a serem visitados e um vai pro lado e outro para outro. Aproveitamento em duplicata.

Tirando das gavetas  Os juízes Diego Guimarães e Marcos Antonio Araújo, da 8ª federal de Sousa, condenaram o ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antonio, nos últimos 15 dias, em dois processos por improbidade administrativa: um relativo à prestação de contas do Xamegão de 2008, no valor de 200 mil reais e outro, de 2008, do Programa de Aquisição de Alimentos, no valor de 324 mil reais. Em ambos cabem recursos das multas e suspensão dos direitos políticos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.