Cajazeiras-PB, 11/12/2017
HOME » CAJAZEIRAS » A Faisqueira do Gazeta

A Faisqueira do Gazeta

carlos-rafael

Novo bispo para Cajazeiras – Bem antes de ser nomeado bispo de Cajazeiras, o GAZETA, previu que o escolhido seria Dom José Gonzalez Alonso, que à época era bispo auxiliar de Teresina no Piauí. Dom José completa 75 anos neste dia 12 de julho e como é de praxe já deve ter encaminhado o seu pedido de renúncia para o Papa Francisco.

Novo bispo para Cajazeiras 2 – Existem algumas alternativas: Dom José poderá continuar como administrador da Diocese, com poderes limitados ou como administrador apostólico com todos os poderes e fica aguardando a nomeação do novo bispo que poderá demorar até por um ano.

Novo bispo da diocese 3 – Comenta-se que o papa Francisco, em algumas ocasiões tem nomeado imediatamente os bispos das dioceses vacantes e já circula nos bastidores que existem dois nomes “cotados” para ocupar a cadeira de Dom José: Dom Antonio Tourinho Neto, bispo auxiliar de Recife e Olinda, nascido em Jequié, Bahia, em 09 de janeiro de 1964.  Monsenhor Antônio Tourinho Neto foi nomeado pelo papa Francisco, no dia 12 de novembro de 2014, como bispo auxiliar e foi sagrado em 17 de janeiro de 2015.

Novo bispo de Cajazeiras  4 – Dom Tourinho possui pós-graduação em Direito Canônico pelo Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico do Rio de Janeiro, e faz apenas seis meses que assumiu a diocese, fato que poderá “impedir” sua indicação para Cajazeiras, além do que se trata de um auxiliar da que pode ser considerada a mais importante diocese do Nordeste.

Novo bispo de Cajazeiras 5 – Outro nome cotado é o do bispo auxiliar de Fortaleza, Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, nascido em Garanhuns, Pernambuco, em 15 de maio de 1963. Em 21 de março de 2012 foi nomeado pelo Santo Padre, O papa Bento XVI, como Bispo auxiliar de Fortaleza, em 11/6/2012 foi a sua Sagração episcopal por Dom Fernando José Monteiro Guimarães, bispo de Garanhuns; em 6/7/2012 – Apresentação à Arquidiocese de Fortaleza como Bispo Auxiliar.

Novo bispo de Cajazeiras 6 – Comenta-se ainda que possa ser um Monsenhor da arquidiocese de Natal, onde foi arcebispo Dom Matias Patrício de Macedo, que pontificou em Cajazeiras por dez anos, mas não teria sido “liberado” de Natal. Estes nomes são apenas indícios, mas a partir do dia 13 de julho, na próxima terça-feira, todos os ouvidos estarão voltados para a Rádio Vaticano, onde será anunciado quem vai substituir Dom José, que deixará muitas saudades pelo excelente serviço que prestou a diocese de Cajazeiras.

Nitroglicerina pura – Comenta-se que uma das bancas de advogados que têm como clientes os presos da “operação andaime”, tem em mãos um CD com gravações telefônicas, permitidas pela justiça, cujos diálogos são de explodir montanhas de pedras.

Portas fechadas – São muitas as reclamações de pessoas que têm seus entes queridos sepultados no Cemitério Coração de Maria, que o mesmo não tem um horário fixo de funcionamento, a exemplo do Nossa Senhora Aparecida que passa todo o dia aberto. Já aconteceu de um cidadão serrar o cadeado para fazer visita de cova. Na realidade, a maior autoridade da cidade é o coveiro e não adianta reclamar porque depois que ele prende ninguém solta mais.

Improbidade administrativa – A justiça de Cajazeiras acata pedido de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Carlos Rafael, proposta pelo Ministério Público e cabe recurso à decisão do Juiz de Direito Substituto da 4ª Vara Francisco Hilton Domingos de Luna, datado de 06 de julho de 2015. Eita que começaram a desenterrar os defuntos e com certeza o perfume não é de rosas.

Improbidade Administrativa 2 – A Ação Civil Pública é fundamentada na “imputação de supostos atos administrativos eivados de vícios que atentam contra os princípios norteadores da administração pública”. Em outras palavras: Carlos Rafael teria contratado servidores sem a a realização de concurso público. É o inicio da peregrinação ao fórum da cidade e do TJ da Paraíba.

No estaleiro – O deputado estadual Jeová Campos anunciou que vai se licenciar para realizar uma cirurgia, com a finalidade de “barrar” uma diabete que tem sido sua grande preocupação e o tem impedido de fazer o que mais se delicia: comer. Jeová é conhecido como um contumaz “bom prato” e mesmo sendo “proibido” de saborear alguns, não se contém e quebra todas as dietas.

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *