[2004] Telemar retira orelhões da zona rural de Cajazeiras

TATYANA
0 166
AM3 – 250×250

orelhoes_800x531

As comunidades dos Sítios Arara e Serragem, estão se sentindo muito prejudicadas com a decisão da Telemar, que retirou dois orelhões, que eram utilizados pela comunidade. O padre Paulo Henriques da Fonseca, da Paróquia São José Operário, em Cajazeiras, juntamente com à Associação dos Usuários de Água do Açude Lagoa do Arroz, entraram no dia 15 de Abril, deste ano, com uma Ação pedindo para que a Telemar, fosse obrigada a reinstalar os Orelhões nessas localidades, um ato considerado abusivo pela população.

Segundo o padre Paulo Henriques, a atitude contraria o interesse público e as normais legais referentes as concessões de Serviços Públicos. Os serviços de telefonia, se constituem em um importante meio de comunicação, especialmente entre as pessoas que contam com familiares morando em outras cidades ou em outros estados, principalmente em São Paulo. Mesmo quando existia o serviço, ele era disponibilizado para à população, apenas em horários restritos.

A Serragem é uma comunidade muito populosa e não pode ficar sem esse meio de comunicação, que também tem muita utilidade em momentos de emergência e com uma gama de necessidades geradas pelo Açude, que também tem carência de outros serviços públicos, como é o caso do transporte, falta de abastecimento d’água e não pode ficar prejudicada, com a retirada desse importante serviço, afirmam. Esse fato aconteceu no mês de março, com a retirada do orelhão. A presidente da Associação, Maria de Fátima, conhecida por Dôdô da Serragem, encabeça a ação que tramita na 3ª Vara, em Cajazeiras, está sendo acompanhada pela Defensoria Pública, através do advogado Luiz Humberto.

Um procedimento requerido ao Ministério Público de Cajazeiras, em igual teor foi dado entrada pelo padre Paulo Henriques, em 2.004, mas infelizmente não gerou nenhum efeito no sentido de solucionar o problema. Os representantes da comunidade entendem que o Ministério Público e a Justiça, precisam dedicar mais atenção em relação aos interesses do povo, contra abusos praticados, principalmente por essas empresas concessionárias de serviços públicos e essenciais.

Quando houve a venda do Sistema de Telecomunicações do Estado, antes Telpa, infelizmente a primeira ação danosa, da empresa, foi justamente no sentido de desativar os Postos Telefônicos, que eram mantidos em parceria com as Prefeituras Municipais e agora até os Orelhões, lamentavelmente estão sendo retirados.

GAZETA DO ALTO PIRANHAS - ED. 342 (1º A 7/07/2004)
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.