Cajazeiras-PB, 17/10/2017

[REUDESMAN LOPES] Apresentados, vamos aos trabalhos

Acabou enfim a grande expectativa com relação a se conhecer os jogadores que farão parte dos elencos de Atlético e Paraíba, os nossos dois representantes na elite do paraibano nesta temporada que se inicia a partir de 8 de janeiro do ano vindouro. Foram duas apresentações que marcam os estilos entre Trovão e a Cobra Coral.

O Paraíba optou por apresentar os seus atletas no Estádio o Perpetão e contou com a presença de abnegados torcedores tricolores. Bem organizado, com todos os seus atletas e membros da comissão técnica elegantemente vestidos, o tricolor mostrou um grupo de jogadores desconhecidos, mas, tendo como principais atores os conhecidíssimos Ricardo, Renatinho, França, Cleitinho e Tarrafas.

O time formado com o “olhar” do treinador Jorge Luiz, prioriza em sua maior quantidade, jovens jogadores do cariri cearense que chegam com uma enorme responsabilidade de vestir a camisa do Paraíba. Entendo que, o tricolor cajazeirense acertou em cheio quando trouxe para compor a sua comissão técnica os competentes, Alexandre, para a preparação física e o treinador de goleiros, Cícero, são dois reforços de peso pelo conhecimento e fenomenal trabalho que ambos realizaram por onde passaram.

O Atlético, por sua vez e, com a sua imensa nação alvianil, fez uma festa na ArtChoperia que empolgou e emocionou aqueles que vestirão pela primeira vez a camisa do Trovão Azul. Destaque para a mancha azul que soube fazer o chamamento do seu torcedor que desde cedo lotou o espaço destinado a sua apresentação. Dos 28 jogadores, a galera lembra apenas o goleiro Gerson, ovacionado como o paredão.

Com uma nova diretoria que começa um projeto fantástico dando esperança em que um novo Atlético está se iniciando, o time é totalmente desconhecido e tem a sua formação oriunda do sul do país. Soma-se neste pacote de novidades do Mais Querido do Sertão, uma comissão técnica que trouxe apenas Bruno como um velho conhecido do nosso torcedor. Pois bem, passado este momento das apresentações do Atlético e do Paraíba, agora é a hora do trabalho pra valer, de botar “gás” na rapaziada e da bola começar a rolar.

O clima na cidade é de esperança e muita fé nos nossos clubes, vamos esperar a bola rolar a partir do dia 8 de janeiro, por enquanto, fica a guerra fria nos bastidores e nas arquibancadas do Higino Pires Ferreira e do Perpetão, quando, de um lado a galera do Paraíba afirma que desta vez o time coral vai, dou outro lado a torcida do Mais Querido do Sertão afirmando que o seu time é de fato o grande terror do sertão, é esperar para ver.

O velho e o novo – Após lutar contra o rebaixamento no Campeonato Paraibano deste ano, o Auto Esporte se prepara para tentar voltar a brigar por um lugar na parte de cima da tabela. Para isso, o técnico Gerson Júnior explica que tentou montar um elenco que mescla a experiência de veteranos, como o goleiro Danilo, o zagueiro Fábio Bilica e o volante Léo Lima, com a juventude de outros 10 garotos promovidos das categorias de base do Alvirrubro.  O mais experiente, com 37 anos e muita bagagem internacional, é sem dúvida o zagueiro Fábio Bilica. Ele está de volta a sua terra natal depois de passar por grandes clubes do país, como Vitória e Grêmio, e com passagem também por clubes de Itália, Alemanha, França e Turquia.

Sem PV – Um fato que vem chamando a atenção no começo da pré-temporada do Treze é a ausência do time do Estádio Presidente Vargas. Até agora, entrando para a segunda semana de treinamentos, a equipe comandada pelo técnico Leocir Dall’Astra ainda não fez nenhuma movimentação no seu próprio estádio. E, infelizmente para o torcedor trezeano, essa situação vai durar por pelo menos mais alguns dias. De acordo com informações repassadas pela assessoria de imprensa do clube, o PV deve continuar em reforma até o fim deste mês. No local, está sendo feita uma série de melhorias no gramado, que, além dos treinamentos, deve receber boa parte dos jogos do Treze na disputa do Campeonato Paraibano do próximo ano.

BOLA DENTRO – Para o competente trabalho de avaliação dos atletas do Paraíba Esporte Clube realizado por Alexandre com o auxílio do jovem Breno. Assino a NOTA 10!

BOLA FORA – Para o gramado do Perpetão que está dizimado pela longa seca que castiga o nosso pobre sertão. O que se configurava em um tapete verde, hoje é um poeirão. NOTA 0!

SOBRE REUDESMAN LOPES

REUDESMAN LOPES
Professor de Educação Física e escritor. Autor dos livros "História do Futebol de Cajazeiras" e "Nazareth Lopes - Uma Vida de Ensinamentos"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *