[RAFAEL HOLANDA] Consolo


Seja a dinâmica da vida e com seus pés procure encontrar alguém que vive na miséria absoluta, e na arte bela de consolar; divida pequenas migalhas de alimento em suas mãos.

Procure ouvir, compreender as agonias que perduram sem razões aparentes, as coisas que são produzidas pela maldade humana com a finalidade de produzir tragédia.

Desfaça da sua roupa pomposa, que brilha pelo orgulho e vaidade, e entenda que a felicidade não necessita de traje a rigor e nem o sofrer necessita de grito para se manter acordado.

Plante as sementes que produzem árvores e frutos para saciarem a fome de alguém, tenha a certeza que estas mesmas árvores servirão de sombra para o teu sossego.

Seja o que existe de bom, um homem justo em teu coração, o esplendor e a magia da arte de produzir ações, que em momento oportuno sejam capazes de tirar coisas simples das misérias da vida.

Entre o céu e a terra haverá sempre uma maneira de ser feliz, de conduzir a si e alguém pelas estradas do bem, na certeza que a luz no final do túnel será benéfica para todos.

consola__o_blog

Previous [FRANCELINO SOARES] Sobre trens...
Next [REUDESMAN LOPES] Nova velha novela

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *