[PEPÉ PIRES FERREIRA] Os temas importantes e esquecidos por nós


Na última segunda feira, eu aproveitei o feriado municipal e fui fazer o que um amigo cearense me aconselhou há mais de dez anos: “quando for para ficar à toa, é melhor ficar andando a toa”, assim fiz e aproveitando a carona de amigos, fizemos uma pequena viagem a pau dos Ferros, e aos contrafortes da Serra de São Miguel, e a parte cearense delas.

O mais interessante dessa pequena viagem, foi que eu esperava ver atraso, e gente desinformada, e que nós cajazeirenses éramos em termos de informação, obras e projetos, superiores aos nossos vizinhos potiguares e cearenses do interior. Que nada, quando visitamos um vilarejo, situado entre os estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, fiquei embasbacado com os assuntos que estávamos a discutir: A Transposição e, pasmem, a Zona Franca do Semi Árido, nossos interlocutores tinham o mesmo, ou mais exatamente sabiam mais sobre esses temas do que eu, que era o único dos que fomos a viajem, tinha alguma informação, já que fui a audiência Pública que se realizou aqui.

O cearense veio perguntando: Vocês são de cajazeiras? E como vai o andamento da Zona Franca que a cidade de vocês é o centro? Quem são os autores do projeto? Já sabemos que passou nas comissões por unanimidade, e quando será a votação definitiva. Todos os parlamentares do Ceará estão votando a favor e convencendo os do sul para que saia.

O restante dos meus companheiros sequer sabia do que se tratava, e aqui, nunca vi ninguém me chamar para tratar desse assunto, nem conheço nenhuma comissão que deveria acompanhar a tramitação desse projeto, nem nada, o que eu mais ouço por aqui, é que é um projeto inviável, um sonho demagógico, mas nossos vizinhos, não só acreditam, como um deles já se prepara para montar uma indústria para montar equipamentos com peças importadas da China.

Sobre a Transposição que aqui o pessoal só fala nela quando falta água em casa, eles já sabem os cronogramas do lado cearense, e o intinerario da parte do ceará, e outras informações atualizadas que eu mesmo não dispunha. Isso se fosse em Fortaleza, tudo bem, mas num vilarejo perdido entre o Ceará e o Rio Grande do Norte, eu fiquei muito impressionado, e entra outras coisas que vi nessa pequena viagem.

Em Pau dos Ferros, o prefeito de lá, drenou uma lagoa e construiu uma Praça de Eventos que faz vergonha apresentar a Praça do Xamegão como tal, é umas sete a dez vezes maior, com quiosques, banheiros ECT, novo e de bom gosto. Se eu fosse nativo de lá, ficaria.

Por aqui só se fala na eleição paroquial, e infelizmente em termos depreciativos, ou seja vote no meu, porque o seu candidato é pior, ou coisa semelhante, esses grandes temas, mais o do aeroporto comercial regularizado, pois é essencial para nosso desenvolvimento,nem bons professores nem grandes conferencistas querem enfrentar uma jornada de 200 ou 500 Km de carro preferindo outra que disponha de serviço aéreo. Esses três temas, na minha opinião eram os que deveriam estar nas ruas, mas muito pouco se fala deles, o foco mesmo paroquial, deveria apresentar esses temas, e nem nas eleições vemos serem apresentados.

Pior para nós. Não seria de admirar, que nossos vizinhos do Ceará queiram trazer a brasa da Zona Franca por exemplo para a sardinha deles, e vamos fazer como a Seleção do México era: “Jogamos como nunca, perdemos como sempre”, já se caiu no erro de votar num candidato inviável para Deputado Federal.

ZONA-FRANCA-MAPA

Previous [REUDESMAN LOPES] Medalha de ouro para o Brasil
Next [FRASSALES CARTAXO] Eleição: tudo junto e misturado

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *