Cajazeiras-PB, 18/10/2017

O túmulo da menina da serpente

tumulo-menina-serpente
O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas, portanto, um dia de oração pelos entes queridos que partiram para a eternidade. Isto para os adultos, para a meninada era um dia de muita animação, juntar a cera derretida das velas acesas e fazer uma bola de cera, quem conseguisse fazer a maior era invejado pelos outros.
Seu Tinino, um negro alto e magro, neste dia não levava a sua carrocinha encarnada, com portinholas de vidro e com a sua buzina (gritando TININO!) para frente do Cine Éden, mais lucrativo era a porta do cemitério, onde estava reunida a maior parte da criançada da cidade, ó carrocinha apetitosa com chicletes Ping-Pong, amendoim torrado, balas juquinha e pipoca.
Havia outros concorrentes como o seu Clarindo da carrocinha de picolé da Walmor, o de coco era o preferido. O rapaz com a sua tábua de pirulito. Mais outro com algodão-doce, a velhinha vendendo rolete de cana, e outros que me fogem à memória. Os pais para se livrarem da chatice dos filhos eram mãos-abertas e a fartura corria solta.

Mas no meio desta algazarra toda, a meninada não se esquecia de ir várias vezes ao túmulo da menina da serpente (ver foto). Há a lenda de que esta menina morreu por ter dado língua para a mãe e, como castigo divino, tinha virado uma serpente. O medo maior era que o túmulo se rachasse e a serpente soltasse alguma escama… pronto… o mundo se acabaria.

Era tão verdadeiro que se podia escutar o barulho da serpente se mexendo, bastava encostar o ouvido no teto do túmulo e ouvia uns ruídos (semelhante àquele produzido pelos búzios) e saía correndo, tanto que batia o pé na bunda.

EDUARDO PEREIRA

SOBRE Christiano Moura

9 COMENTÁRIOS

  1. ROCHILAN OLIVEIRA

    Eu me lembro como se fosse hoje, eu fiz muito isso de colocar o ouvido no teto desse túmulo. Eu me lembro de várias estórias que o povo contava, eu tinha um medo grande, e ia no cemitério só para ver esse túmulo, era como se fosse uma aventura para mim, desafiar o medo de ir pertinho escutar a “serpente”. Eita tempo de criança, saudoso tempo.

  2. roberta soares

    eu também fiz muito isso estudava no colégio dom moises coelho elenbro que matava aula para ir ao cemitério so pra escutar na cova da menina ou tempo bom.

  3. samara

    e foi verdade mesmo; vcs escutaram alguma coisa…
    eu queria saber deste misterio se e verdade ou lenda…
    sera se tem alguem pra me esplicar isso…

  4. Jesus José Sabino

    Prezada Samara,
    Esta é uma lenda urbana, que está em várias partes deste país, principalmente no Nordeste… o que ocorre é somente a putrefação e absorção dos elementos químicos de volta á terra (cálcio, potássio, enfim tudo elemento químico do qual é composto um corpo físico)… Se o corpo tiver sido submetido a alguns produtos químicos pode mesmo apresentar retardamento da putrefação)…Quanto a rachaduras em túmulos, são provocados geralmente, por gases liberados ou mesmo pela dilatação/contração do cimento (geralmente não estrutura de ferro e racha mesmo)… O resto é lenda, “história de trancoso” para assustar pessoa medrosas!

  5. FRANCISCO FERREIRA

    Ao visitar este site, de cara me deparei com este assunto, ” O túmulo da menina da serpente”, o que me fez viajar no tempo e lembrar com imensa nostalgia a minha saudosa Cajazeiras, faz quase cinquenta anos que estive nessa hospitaleira cidade, sou natural de Sousa, porem, com meus parentes viajava com frequência para Cajazeiras, nos anos sessenta chegamos até morar por algum tempo nesta cidade, lá próximo a saída para o Ceará, o local chamava – se “ferro de engomar”, hei de voltar para matar as saudades que não são poucas! E quanto a referida história, contava – nos a nossa Avó ( eram vários netos ), que havia uma serpente que morava em um determinado túmulo e que pelas brechas do túmulo podia – se vê – la mas que era muito perigoso, pois, o túmulo cercado com correntes para a serpente não fugir e se acontecesse o mundo se acabaria.

  6. Fransquinha

    Eu tinha o maior pavor do tumulo da menina da serpente é verdade agente colocava o ouvido e escutava o zunzun ainda hoje tenho medo

  7. Valdema

    Eu também sou da paraiba hoje eu moro em BRASIILIA quando era jovem minha mae mim falava isso mais nunca acreditei

  8. GERALDA ALVES NATURAL DE MONTE HOREB MORO EM GOIÁS.JA MOREI EM CAJAZEIRA E TEVE UM TREMOR NA CIDADE QUE CAIRÃO COISAS DA ESTANTE DA MINHA PATROA. NOSSA FOI SINISTRO POIS SEMPRE ESCUTAVA ESTA HISTÓRIA PELO POVO.

    V

  9. Genilson

    eu moro aqui perto do cemitério e pra ser bem realista com vcs isso é só mais uma das lendas que não existe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *