Leishmaniose: mais de 200 casos foram registrados em Cajazeiras este ano


isabela-cartaxo-310x174 A coordenadora do núcleo de Zoonoses de Cajazeiras, veterinária Isabela Cartaxo, afirmou que continua sendo registrado um número muito elevado de Leishmaniose (Calazar) no município.

Segundo a veterinária, o exame foi positivo em 203 cães até o momento e, segundo ela, a cidade de Cajazeiras é uma área endêmica, em função do grande número de mosquito voando e consequentemente transmitindo a doença.

Quando o exame é positivo em um animal, os demais que ficam próximo nas residências próximas também tem o sangue coletado e em caso de positivo, são sacrificados, além de um trabalho de borrifamento que é feito, com o objetivo de eliminar os mosquitos.

A notícia boa é que este ano não foi registrado nenhum caso de Calazar em humanos. Ano passado foram 271 casos até o mês de dezembro, sendo 11 em humanos, que resultaram em duas mortes.

Um problema que deve contribuir para a transmissão da doença é o grande número de cães que vivem nas ruas da cidade , sem um dono. O município não conta com um canil. Quem faz hoje o recolhimento dos cães com suspeita de Calazar e os que ficam as residências próximas a animais que foram diagnosticados com a doença, além de cães que moram nas ruas com sintomas da doença é Eliézer Querino, de forma terceirizada. Ele inclusive está construindo um canil, para ampliar esse trabalho.

Previous Aesa prevê temperatura de 37ºC no Sertão da Paraíba
Next Dupla tenta assaltar agência lotérica em Cajazeiras

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *