Lampião, o cimento e a construção do açude de Coremas


LAMPIAO-Papel de parede 2_800x575

Década de 1950, no auge da época das obras de combate a seca, “escravos” da era moderna se sacrificam para erguer uma majestosa obra de engenharia.

Década de 2010, um homem lamenta sua saúde debilitada ocasionada principalmente, em decorrência das centenas de sacos de cimento que carregou durante a construção de uma das maiores barragens do Brasil.

Seremos capazes de compreender que o progresso, que ao mesmo tempo nos proporciona conforto e melhoria de vida, cobra um preço muito alto?
“Lampião e o Cimento”, documentário espontâneo que mostra de maneira poética, a rotina de um homem pertencente à comunidade Quilombola Mãe D’água no município de Coremas na Paraíba.O vídeo faz um resgate e documenta a condição de vida desse remanescente de quilombo conhecido como “Seu Lampião”, um homem simples que dedicou sua vida ao trabalho e ao sustento de sua família de tal forma que, mesmo nascido no século XX, acabou se tornando um “escravo do sistema capitalista” tendo inclusive, sua saúde prejudicada em decorrência do seu esforço durante as obras de combate a seca.
“Vejo a necessidade de ações culturais em nosso município que motivem as pessoas a expressar e divulgar nossas raízes, por isso a importância de produzir uma obra que ira incentivar em vários aspectos as formas de expressão cultural e artística de nosso povo, a comunidade verá que é possível se manifestar através do áudio visual bem como preservar a sua arte e valores. A idéia do projeto é justamente essa, Revelar e Incentivar a criatividade cultural e artística, o que é fundamental para o crescimento da comunidade, despertando assim o ato de refletir sobre a importância do cidadão para o desenvolvimento da nação”, disse o diretor Diassis Pires.
BLOG DO FILME
Previous Prefeitos sertanejos usam máquinas do PAC para agradar aliados
Next Obra da Transposição do Rio São Francisco opera em jornada de 24 horas

2 Comments

  1. Carla almeida
    27/05/2015

    Olá, estou fazendo um trabalho sobre as comunidades quilombolas do estado, gostaria de saber como posso ter acesso ao documentário. aguardo.

  2. 27/05/2015

    Acesse o blog oficial do documentário; lá tem todas as informações. 😉

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *