Há obras prontas, inacabadas, em andamento e que nem iniciaram no Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco


O relatório que será produzido a partir das constatações da Frente Parlamentar da Água da ALPB após a visita realizada na última sexta-feira (22) às obras do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco trará a síntese do que foi visto durante o percurso que começou por Cabrobó (PE) e terminou por volta das 19h, na barragem Boa Vista, em São José de Piranhas (PB). Acompanhado por um grupo de profissionais da Imprensa cajazeirense, o deputado estadual e presidente da Frente, Jeová Campos, se alegrou em alguns trechos, se deslumbrou noutros e ficou extremamente preocupado com o abandono da obra pela construtora Mendes Jr. O relatório será apresentado no retorno dos trabalhos da ALPB e servirá de subsidio para cobrar das autoridades competentes as devidas soluções.

Na Estação de Bombeamento Número 1, em Cabrobó, primeiro local de visita, o deputado e comitiva constataram a magnitude da obra que já está pronta, com água no canal e puderam verificar as enormes  bombas funcionando. “Ao ver isso tudo, o coração se enche de esperança, os olhos enxergam um futuro com água em abundância e a gente respira aliviado porque sente que o futuro será mais promissor”, destaca o parlamentar, que desde criança convive com as agruras e problemas provocados pela estiagem e a falta de água no sertão paraibano.

De Cabrobó, a comitiva seguiu para a barragem de Tucutu, percorreu as margens do canal com água e constatou que naquele trecho a obra está praticamente concluída.  De lá foram até a barragem de Terra Nova, que também já está com água. Salgueiro foi o próximo destino, depois Jati, onde a barragem gigantesca já está concluída e, em seguida, foram para Brejo dos Santos, onde conheceram a barragem de Canabrava, uma obra gigantesca. De lá foram para São José de Piranhas, ver como está a barragem Boa Vista, onde foi finalizada as visitas por volta das 19h.

De todos os locais visitados, o mais preocupante é o trecho entre Salgueiro e Jati que tem obra abandonada. A estação elevatória 2 e 3, que estava sob a responsabilidade da construtora Mendes Jr. está parada. A empresa concluiu a primeira estação, estava em fase de testes na segunda e deveria começar a montagem da terceira estação, mas abandonou a obra, o que segundo Jeová, é gravíssimo, pois sem a conclusão destes três trechos as águas da transposição não chegarão à Paraíba. “Sem a conclusão das três estações, as águas não chegarão a Cajazeiras, por exemplo. O caso é grave e requer uma solução imediata, pois Cajazeiras só tem água até abril e estávamos contando com a conclusão das obras da transposição para resolver esse problema antes da cidade entrar em colapso total”, destaca Jeová, conclamando as bancadas federais da Paraíba no Senado e na Câmara para se unirem em prol desta questão.

No Eixo Norte já há vários canais com água

Previous OAB Cajazeiras lança campanha Exija ordem na quarta, 27 de julho
Next PT anuncia apoio a José Aldemir em Cajazeiras

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *