Cajazeiras-PB, 23/10/2017

Goleiro paraibano de futsal confirma status de promessa com título no PR

joao_neto_01

Se ao deixar a Paraíba, o goleiro João Neto era ainda uma promessa do futsal, ele tratou de dar uma resposta convincente de que já se tornou uma realidade. Na última sexta-feira, o arqueiro foi campeão paranaense vestindo a camisa da Copagril e, com boas atuações também na Liga Futsal, segue escrevendo o seu nome na história do futsal brasileiro.

João Neto chegou a Marechal Cândido Rondon, no Paraná, para ser reserva do experiente goleiro Quinzinho. A contratação fez parte de um processo de reformulação pelo qual passou o time paranaense. E 10 meses depois, o paraibano assumiu a titularidade em alguns jogos e acumula 26 partidas com a camisa da Copagril (entre o Paranaense e a Liga Futsal). A recompensa do empenho veio em forma de título.

Depois de empatar por 1 a 1 no primeiro jogo da decisão do Paranaense, a Copagril bateu o Cascavel por 5 a 2, de virada, na casa do rival, e ficou com o título. Emocionado com a primeira conquista como profissional, João Neto fez questão de destacar a difuculdade de se conseguir levantar a taça de um campeonato tão disputado.

– Só quem disputa um Campeonato Paranaense, sabe do que estou falando. É uma competição extremamente equilibrada, que envolve muita rivalidade. Oscilamos bastante, principalmente no início, mas, no final, mostramos que o time desacreditado, além de ter um grande trabalho realizado, contava com jogadores e comissão técnica vencedores, que acabou prevalecendo no final.

João Neto já havia conquistado alguns títulos por times paraibanos. Ele levantou taças em todas as categorias de base pelo Benfica, foi campeão paraibano com o João Pessoa Futsal e da 2ª divisão da Taça Brasil pelo Treze. No currículo, o jovem goleiro também tem a experiência de ter parado o melhor jogador do mundo. Defendendo a Seleção Paraibana em um amistoso contra a Seleção Brasileira, João Neto fez excelentes intervenções contra Falcão, fez com que o craque saísse de quadra sem marcar gols e, apesar da derrota por 4 a 0, foi ovacionado pela torcida ao ser substituído no segundo tempo.

João Neto, goleiro de futsal da Paraíba (Foto: Larissa Keren)
Pela Seleção Paraibana, João Neto se destcaou contra a Seleção Brasileira (Foto: Larissa Keren)

Mas João Neto não esconde que vive o melhor momento da sua carreira. Para ele, as 26 vezes em que entrou em quadra e os resultados que conquistou superam em muito a expectativa que tinha quando deixou João Pessoa para vestir a camisa de um time profissional.

– Disputei 26 jogos nesta temporada, entre Liga Nacional e Campeonato Paranaense, e confesso que foi muito acima da minha expectativa. Pensava em, no máximo, entrar em quadra 10 vezes, sendo bem otimista, pois esse foi meu primeiro ano como profissional e eu sabia que o caminho era árduo e difícil – desabafou João Neto.

– Minha capacidade de superação e minha personalidade foram colocados muito mais à prova do que o meu próprio talento. Enfrentei diversas situações extremamente complicadas, onde eu poderia me apoiar no meu primeiro ano como profissional para justificar um possível fracasso com muita tranquilidade. Mas encarei todas da melhor maneira possível e encerro o ano com a certeza de que meu primeiro passo foi muito bem dado – emendou.

João Neto, goleiro paraibano de futsal (Foto: Divulgação / Copagril)
Além da conquista do Paranaense, João Neto teve boas atuações durante a Liga Futsal (Foto: Divulgação / Copagril)

Apesar de fazer uma avaliação positiva da sua atuação na final, João Neto destaca as partidas das quartas de final, contra o Francisco Beltrão, como os seus melhores momentos no Campeonato Paranaense.

– Foram jogos em que o aspecto psicológico foi levado ao extremo e que eu tive que lidar não só com a pressão de uma possível eliminação precoce, mas também de reassumir a condição de titular num momento decisivo. Graças a Deus, fiz dois excelentes jogos e confesso que me emocionei bastante quando garantimos nossa classificação, em casa, depois de estarmos perdendo por 2 a 1 – disse o goleiro.

Realizado com a campanha da Copagril na temporada e com aprendizados individuais que teve, João Neto não se arrepende de ter largado tudo para correr atrás do sonho de se profissionalizar no futsal. Para ele, entrar em quadra para fechar o gol é mais do que apenas cumprir metas enquanto goleiro de futsal; é ser feliz.

– Larguei tudo para ser feliz, para fazer o que eu amo, para, de fato, realizar um sonho de infância. Saí de casa dizendo que ia aproveitar a oportunidade e lutei o ano todo para isso. Vou ser eternamento grato, em especial, a Marquinhos Xavier (treinador) por ter me aberto as portas, por ter me dado a chance com que tanto sonhei. E aos demais integrantes da Copagril, incluindo jogadores, comissão técnica e diretoria, fica também o meu ‘obrigado’ e a minha eterna gratidão e reconhecimento – finalizou o goleiro.

GLOBOESPORTE.COM

SOBRE Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *