Cajazeiras-PB, 21/10/2017

Estádio Higino Pires Ferreira: a luta continua

Todos sabem, sou um defensor confesso da memória cajazeirense e em especial ao futebol e aos esportes. Neste entendimento é que tive a ousadia e com ajuda de amigos e amigas, escrevemos e deixamos registrado em um livro de mais de 600 páginas a História do Futebol de Cajazeiras que, se constitui em ponto de partida para todos aqueles que porventura queiram conhecer a memória do nosso futebol.

Pois bem, também, não é segredo de ninguém que travamos, com ajuda de poucos, uma luta que fora transformada em batalha, isso pelo tempo que vem durando, para que Cajazeiras, seus administradores, políticos e ou empresários possam ter um “olhar diferenciado” para com o nosso “velho” Estádio Higino Pires Ferreira, tão abandonado pelos nossos administradores.

Agora, estamos reacendendo a nossa batalha, e estamos fazendo isso novamente tendo em vista a chegada de uma nova administração e, esperamos, que essa possa vislumbrar essa praça de esportes, berço do futebol cajazeirense com um “olhar de ousadia”, ou seja, buscando tirá-lo do estado de desprezo e de abandono que se encontra a décadas.

Como citei anteriormente, uma batalha, diante de tantas dificuldades que se impõe pela cruel crise econômica que bateu o país pelos atos de corrupção praticados pelos nossos políticos. Mas, cito aqui que, alguns notáveis homens da escrita, pensadores, creditam que são nestes momentos de imensas barreiras que estamos a conhecer os grandes administradores e neles uma certeza avassaladora, “criatividade”, ela vem para derrotar todos os pessimistas de plantão, aqueles que não acreditam na vontade e na determinação dos outros.

E, voltando aqui ao Estádio Higino Pires Ferreira, o que estamos a falar nas linhas anteriores, deveria, ter sido bandeira de luta na batalha pelo rejuvenescimento desta nossa praça de esportes. Entretanto, como citamos, sem vontade, sem determinação, sem prioridade, assim foi sendo levado o Estádio Higino Pires Ferreira. Acho que ele não deveria ser uma luta pura e simples do poder municipal, mas, e sim, de toda a cidade de Cajazeiras, entendamos, empresários e sua classe política.

A união faz a força, velha nova frase que vale e muito para que juntos possamos tirar um dos marcos de Cajazeiras do estado em que hoje se encontra. E a você Zé, vai a minha esperança que a sua administração possa de fato ter um olhar “bem diferente” dos muitos que prometeram, mas, esqueceram-se das suas promessas. Uma coisa tenha certeza prefeito, vamos cobrar, entretanto, vamos lhe dar alternativas de armas para a batalha.

Parece futebol amador – O trio de arbitragem do confronto entre Internacional-PB e Paraíba de Cajazeiras passou por um vexame antes do início da partida desta quarta-feira 11. É que o vestiário destinado a eles no Estádio Tomazão está interditado e o trio de arbitragem teve que trocar de roupa no banheiro social do local, que não tem chuveiros para que eles pudessem tomar banho após o jogo. Além disto, a sala destinada para anotações na súmula estava sem luz e João Bosco Sátiro teve que improvisar a iluminação com um telefone celular. A partida, válida por uma competição profissional. No entanto, o cenário encontrado pelos árbitros mais se assemelhava à estrutura de torneio amador. 

1 a 1 justo – O Dinossauro mostrou que é um rival e tanto jogando dentro de casa. Aliás, surpreendeu a forma corajosa como a equipe atuou e conseguiu acuar o Campinense. Realizava as principais jogadas ofensivas e tinha em Edy o nome que fazia a transição da defesa para o ataque e colocava os colegas de frente em situação de gol. O Campinense, contudo, sabia ser perigoso, foi dele o melhor lance do primeiro tempo. Um chute em gol que só não entrou por causa da atuação do goleiro Pantera. No segundo tempo, o Dinossauro começou melhor, mas quem deu o bote foi a Raposa. Aos 11 minutos, abriu o placar. O Sousa continuou tentando, e o empate veio de escanteio na cabeçada de Leandro. Jogo empatado e um ponto para cada lado.

BOLA DENTRO – Para a vitória do Atlético frente ao bom time do Botafogo da capital. Foi na raça e no futebol. Parabéns a galera do Trovão Azul que fez mais uma linda festa no Colosso das Capoeiras. Vale Nota 10!

BOLA FORA – Para a derrota do Paraíba frente ao Inter-Pb. Por essa poucos esperavam. Agora é ver os próximos resultados e ficar esperto neles. Resultado digno de uma NOTA 0!

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *