Diretora da FSM refuta candidatura: “vão lavar uma trouxa de roupa!”


PROFESSORA ANA GOLDFARB DA FACULDADE SANTA MARIA

Em entrevista exclusiva à TV Diário do Sertão, a diretora da Faculdade Santa Maria, Ana Goldfarb, fez um contundente desabafo ao esclarecer que não há nenhum interesse político por trás dos projetos sociais que a faculdade tem firmado com a Prefeitura.

Goldfarb demonstrou está bastante desapontada e irritada com quem está insinuando esse suposto interesse. Ela já pensa até em cancelar os projetos.

Atualmente a FSM está trabalhando em dois projetos sociais importantes em parceria com a Prefeitura. “Cajazeiras Viva” pretende reflorestar a cidade com árvores de cajá. O outro seria uma espécie de mutirão de castração para controlar a população de cães e gatos de rua.

Uma coluna jornalística da cidade atribuiu esses projetos a um “namoro” entre Goldfarb e o prefeito José Aldemir. Em resposta, a diretora disse que a Faculdade Santa Maria nunca teve vínculo político com ninguém, lembrou que sempre firmou parcerias com os demais prefeitos e foi irônica ao se referir ao “namoro”.

“Desde que a gente fundou a Faculdade Santa Maria em Cajazeiras, a gente trabalha por Cajazeiras. Alguns projetos estão sendo implantados agora na gestão de Zé Aldemir. Também não tenho nada contra nem a favor de Zé Aldemir. Também vou passar a gestão de Zé Aldemir sem ter nenhum problema, e que venham outros prefeitos para Cajazeiras. Isso não é um problema meu, até porque eu não tenho vínculo político e nem vou ter. Sendo até irônica, se tiverem que me casar com alguém, me casem com Denise [ex-prefeita]. Respeitem pelo menos minha opção sexual. E falando um pouco mais sério, isso é uma agressão à minha pessoa”, disse.

Os projetos em parceria com a Prefeitura também alimentam boatos nas redes sociais de que Ana Goldfarb teria interesse em ser prefeita de Cajazeiras. Mas ela refuta com veemência.

“Cajazeiras está cansada de saber que não sou candidata a nada, nem vou ser nessa encarnação. Se querem me desejar o mal, me desejem outro tipo de mal, mas esse mal na minha vida, não”.

Ela explica que os projetos sociais da Faculdade Santa Maria que têm o objetivo de promover melhorias na cidade precisam estar oficialmente vinculados às gestões municipal ou estadual, e ressalta que esses projetos são uma contrapartida da FSM.

“A gente tem que fazer a parte social da gente. A gente tem que devolver um mínimo do que essa faculdade já deu para mim e para a professora Sheila [co-diretora]. Críticas deliberadas não levam ninguém a lugar nenhum”.

Por fim, Goldfarb desabafa: “Se é para contribuir com o trabalho, se integrem, participem, avaliem. Se não, fiquem deitados numa rede, vão lavar uma trouxa de roupa. Mas tenham respeito pela Faculdade Santa Maria, por todo o trabalho social que ela faz em Cajazeiras”.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *