Cajazeiras-PB, 22/11/2017
HOME » COLABORADORES » [DALADIER JÚNIOR] A criação do Instituto Federal de Educação do Sertão da Paraíba

[DALADIER JÚNIOR] A criação do Instituto Federal de Educação do Sertão da Paraíba

ifpb cajazeiras mar 2012

Estamos construindo um debate em torno de um tema deveras relevante para a nossa região, que é a possível criação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão da Paraíba (IFSPB), onde esta nova autarquia será criada através do desmembramento de alguns campi do atual IFPB localizados no Sertão da Paraíba, quais sejam: Cajazeiras, Sousa, Patos e Princesa Izabel. Outrossim, pelo menos mais dois novos campi já foram aprovados para uma nova expansão do IFPB e estão em processo de construção/implantação, são eles: Catolé do Rocha, Itaporanga, o que totalizaria 6 campi no IFSPB.

Para se ter uma ideia da magnitude desta nova instituição o IF do Sertão de Pernambuco (IFSPE) conta apenas com 4 campi. Outros estados também possuem desmembramentos, tais como: Bahia com 2 (IFBA e IF Baiano), Goiás com 2 (IFGO e IF Goiano), Minas Gerais com 6 (IFMG, IFNMG, IF Sudeste MG, IF Sul de Minas, IFTM e CEFET-MG), Rio de Janeiro com 4 (IFRJ, IFF, Colégio Pedro II e CEFET-RJ), Rio Grande do Sul com 3 (IFRS, IF Farroupilha e IFSUL), Santa Catarina (IFSC e IF Catarinense).

Atualmente o IFPB possui oficialmente 10 campi (João Pessoa, Cabedelo, Cajazeiras, Campina Grande, Monteiro, Patos, Princesa Isabel, Picuí e Sousa), sendo que Esperança, Catolé do Rocha, Santa Rita e Itabaiana estarão na quarta fase de expansão do IFPB, perfazendo 14 campi. A expansão do IFPB fez com que esta autarquia tivesse um orçamento em 2013 de R$ 237.381.776,00. Esta expansão em números de campi e também territorial tornou a autarquia de difícil gestão, pois a mesma muitas vezes não consegue enxergar os problemas pontuais dos campi in loco, fazendo com que este orçamento se concentre principalmente na cidade de João Pessoa. Atualmente, o segundo maior orçamento do IFPB é do campus Campina Grande, que tem pouco mais de sete anos de funcionamento, para se ter uma ideia o campus Cajazeiras completa este ano 20 anos e o campus Sousa 59 anos, mesmo assim ambos os campi possuem um orçamento menor do que o de Campina Grande.

Diante destas poucas adversidades (além de outras que serão apresentadas na Audiência Pública) estaremos na próxima quarta-feira, 30/4, juntamente com a comunidade do campus de Cajazeiras (e demais campi do Sertão que queiram enviar representantes), sociedade civil da região, a imprensa e alguns de nossos representantes políticos realizando a primeira Audiência Pública em torno desta importante causa, a partir das 10:00h da manhã no Auditório do IFPB/Campus de Cajazeiras. Esta Audiência Pública terá como objetivo mostrar as vantagens deste desmembramento do IFPB, com o intuito de criar uma nova instituição que esteja mais preocupada em: 1) buscar soluções tecnológicas para minimizar os efeitos da seca de forma sustentável; 2) prover uma educação mais inclusiva e de qualidade, através de ferramentas pedagógicas que ainda não foram bem exploradas pelo IFPB, como a Educação a Distância, entre outras; 3) Orçamento direcionado apenas para os campi do Sertão da Paraíba, gerando mais riquezas e desenvolvimento para nossa região; 4) Criação de novos cursos, sejam eles técnicos, de nível superior tanto de Tecnologia, quanto Licenciaturas e Bacharelados, quiçá também implantando cursos de pós-graduação, que atualmente são raríssimos no IFPB (no sertão não temos ainda nenhuma pós); 5) fomentar a criação de incubadoras de empresas e startups preocupadas em potencializar as vocações das regiões onde os campi estão(rão) inseridos, gerando riquezas, criando empregos, ou seja, fixando mão-de-obra especializada em nossa região; 6) Criação de novos campi, objetivando o desenvolvimento regional. Resumindo a criação de uma instituição que esteja mais preocupada com os sertanejos e os seus problemas.

Vale ressaltar que os outros campi do Sertão também realizarão suas respectivas Audiências Públicas em datas a contento.

Para dar ciência: atualmente o IFPB/Campus Cajazeiras possui o 2º melhor curso do Brasil em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS), segundo o Exame Nacional de Desempenho do Ensino Superior (ENADE), que é realizado a cada três anos. O referido curso tem conceito 5 (máximo), só perdendo para o Curso de ADS da FATEC-SP, que ficou com nota 4,94 e o IFPB/Campus Cajazeiras ficou com nota 4,83. Este resultado fez do Curso de ADS o melhor de todos os demais cursos do IFPB, tal relevante resultado sequer é conhecido na cidade de Cajazeiras e nem no estado, pois nos parece que não é de interesse do IFPB que um curso de Cajazeiras (ou do sertão) tenha este mérito. Os resultados de ADS não param de orgulhar-nos, pois tal curso tem empregabilidade total, porque todos os seus alunos egressos estão inseridos no mundo do trabalho, ou seja, não temos nenhum aluno que concluiu o curso que esteja desempregado; o melhor é que todos trabalham na área e as empresas de desenvolvimento de software dos grandes centros do Nordeste requisitam nossos alunos antes mesmo deles concluírem o curso. Além disso, este relevante resultado me transformou no único representante do interior do Brasil a compor as Comissões Assessoras das Áreas, no caso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Tal comissão irá elaborar a prova do ENADE deste ano e definir algumas diretrizes e políticas públicas que serão adotadas pelo MEC e INEP (Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) durante o triênio 2014-2015-2016.

Outro campus que merece destaque é o de Sousa, com mais de 50 anos de atuação na formação educacional agrícola tecnológica. Tal campus contribui e muito para a disseminação de boas práticas para exploração do solo, da pecuária, das culturas que se adequem melhor a nossa região, além de fomentar o desenvolvimento da agroindústria. Tal campus vem se reinventando e despertando para outras vocações não agrícolas.

FRANCISCO DALADIER MARQUES JÚNIOR É DOUTORANDO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PELO CENTRO DE INFORMÁTICA DA UFPE
 MESTRE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PELA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
 ESPECIALISTA EM REDES DE COMPUTADORES PELA UFRN
 MEMBRO DA COMISSÃO ASSESSORA DA ÁREA DE ADS MEC/INEP/ENADE
 MEMBRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PESQUISA OPERACIONAL
 REPRESENTANTE INSTITUCIONAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DA COMPUTAÇÃO NO IFPB/CAMPUS DE CAJAZEIRAS

SOBRE Christiano Moura

COMENTÁRIOS

  1. Victor Hugo

    Belos argumentos, de fato o que se percebe é que o investimento, desenvolvimento e interesse do IFPB fica concentrado no agreste e litoral paraibano. O IFSPB ao meu ver seria muito bem vindo para desenvolver e aumentar ainda mais a credibilidade de nossas instituições (sertanejas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *