Cajazeiras-PB, 22/10/2017

Crescimento da indústria baiana é o maior no País

ba-ind

A Bahia foi o estado com melhor desempenho industrial no Brasil em setembro, com crescimento de 6,8% frente ao mês anterior, de acordo com levantamento divulgado ontem pelo IBGE. “Vale mencionar ainda que essa foi expansão  mais acentuada nesse tipo de comparação desde janeiro de 2012 (13,2%)”, destacou o instituto no relatório da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física – Regional.

Apenas seis dos 14 estados pesquisados apresentaram expansão. Depois da Bahia, os maiores crescimentos aconteceram no Rio de Janeiro (4,4%) e Goiás (4,1%). Minas Gerais (2,1%), Espírito Santo (1,8%), ambos com avanço acima da média nacional (0,7%), e Rio Grande do Sul (0,4%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas nesse mês.

O  estado ficou na liderança também no acumulado dos nove primeiros meses deste ano, com alta de 5,8%. No comparativo com o mesmo mês do ano passado, oito estados apresentaram elevação, sete acima da média nacional (2%). A industria baiana se expandiu (4,3%),  atrás do líder Goiás (12,8%).

Ainda segundo o levantamento do IBGE, “a taxa anualizada, índice  acumulado nos últimos doze meses, ao avançar 6,7% em setembro de 2013, praticamente repetiu os resultados verificados em julho (6,9%) e agosto (6,6%)”.  Durante todo o ano, os principais impactos foram refino de petróleo e produção de álcool (15,5%) e  de metalurgia básica (30,2%), puxados pelos itens óleo diesel e outros óleos combustíveis e gasolina automotiva e de barras, perfis e vergalhões de cobre e de ligas de cobre, respectivamente.

Mercado de trabalho está positivo

O faturamento da indústria brasileira caiu 2,5% em setembro na comparação com agosto, na série livre de influências sazonais, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria.

No mesmo período, as horas trabalhadas na produção recuaram 0,5%, o emprego teve leve queda (0,1%), a massa real de salários cresceu 0,8% e a utilização da capacidade instalada recuou 0,2 ponto percentual.

“O mercado de trabalho ainda mantém números positivos mesmo com queda  da atividade industrial no trimestre.

O emprego ficou relativamente estável em setembro (0,1%) frente ao mês anterior e cresceu 0,3% no terceiro trimestre frente ao trimestre anterior”, destacou a entidade, em nota. A pesquisa da CNI identificou ainda o aumento da ociosidade.

A utilização da capacidade instalada (81,9%) recuou em setembro  frente ao mês anterior (-0,2 p.p.) e na média do terceiro trimestre frente ao trimestre anterior (-0,4 p.p.).

TRIBUNA DA BAHIA

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *