Nos momentos de aflição seja conhecedor da fonte simples da vida, onde a esperança se torna nascente, e com suas águas perfeitas, limpa o coração em desespero.

Caminhe de forma humilde, e saiba compreender que as estradas das dificuldades são passiveis de aparecer, mesmo que se mostrem perfeitas aos olhos.

Não se curve aos menores ventos que balançam pequenos galhos, pois muitos enfrentam tempestades e com a força da vontade superam os tormentos da vida.

Encara os problemas cuja a soma não bate com o resultado das suas pretensões, disponha suas mãos com a finalidade de ser melhor no acolher do que no recusar.

Aos gritos haja com brandura, as palavras que ferem, possua a força de um antídoto que possa curar as eventuais cicatrizes que possam surgir.

Nas intolerâncias que passeiam de mãos dadas no cotidiano com o egoísmo, se torne mansidão, e entenda que a arte da beleza se faz pela singela sutileza do perdão.

Nos desesperos se coloque aos pés de quem sofre, e traga a essência da calma para abrandar as coisas que sufocam e os momentos que se fazem longos.

Receba com ternura os que procuram um pouco de paz, construa um barco de conforto para que com seus braços possam chegarem ao porto seguro.

Transforme o dia em eterna alegria, mostrando que o sentimento de viver em paz, na realidade é um mundo de uma paz duradoura que embeleza os sonhos de todos os sonhos que sonhamos.

A estrada da vida é composta de alegrias e tristezas, pois a sua arte de ser cíclica, em cada curva haverá de surgir novas surpresas, que mostrarão ao homem a maneira simples de viver.

Não desfaça das cores que palpitam aos seus olhos, se são alegres e pulsantes, aproveite, o destino as vezes perde seu gosto e nos entrega tintas escuras.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *