Cajazeiras-PB, 21/10/2017

Com duas mil toneladas de resíduos por mês, lixão avança no perímetro urbano de Cajazeiras

O aterro sanitário de Cajazeiras, que se transformou em um lixão, já está no perímetro urbano da cidade e continua sendo um problema sem solução, conforme informações obtidas na Secretaria de Planejamento do município.

O lixão fica na estrada para o Sítio Patamuté, na zona sul do município, e o lixo avança degradando o meio ambiente. Para piorar, de vez em quando ateiam fogo e a fumaça tóxica se espalha pela cidade.

Cajazeiras também avança em direção ao lixão com a construção de um loteamento bem próximo ao local.

O aterro sanitário foi construída na gestão de Carlos Antônio com recursos concedidos junto ao Governo Federal. O lixo deveria ser enterrado, compactado e o chorume canalizado para uma piscina. Entretanto, problemas na operacionalização e na grande quantidade de lixo produzida pela cidade não comportou e terminou se transformando em um grande lixão.

Muitas catadores de material reciclável trabalham no local recolhendo o material. O Prefeito José Aldemir informou que algumas empresas estão interessadas em aproveitar o lixo orgânico do município, o que irá amenizar o problema.

Outra solução seria a coleta seletiva de lixo que parece uma ação distante de se concretizar. Segundo informações, Cajazeiras produz, em média, 2 milhões de quilos de lixo por mês.

COM INFORMAÇÕES DO GAZETA DO ALTO PIRANHAS

SOBRE Gazeta do Alto Piranhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *