Cnec comemora 70 anos e é homenageada em João Pessoa


CNEC-CAMARA

Uma sessão solene em homenagem aos 70 anos da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (Cnec) foi realizada na tarde desta quinta-feira (14), na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), numa propositura do vereador Helton Renê (PP). Na ocasião, também foi entregue o Título de Cidadã Pessoense à professora e diretora escolar Francisca Arruda Ramalho.

O parlamentar, que foi aluno cenecista na unidade escolar no bairro do Geisel, na Capital, externou seu contentamento em homenagear a instituição que, segundo ele, tem desempenhado grandes transformações na área da educação ao longo de sua história. “A Cnec vem trazendo qualidade de ensino não só em João Pessoa ou na Paraíba, mas em todo o Brasil. Seus programas e seus objetivos trazem consigo o respeito e a dignidade da pessoa através de uma base educacional arrojada, sem a perda do respeito às instituições familiares”, justificou.

Helton Renê ainda reconheceu o trabalho, a dedicação e o comprometimento de Francisca Arruda Ramalho como diretora de uma das escolas da Capital, de cuja fundação ela também participou. O Decreto Legislativo 659/2013, proposto pelo parlamentar, o qual concede a cidadania pessoense a Francisca Arruda Ramalho, destaca seu extraordinário valor e os relevantes serviços prestados por ela à Capital pessoense. “Ela personifica o trabalho da instituição”, comentou Helton Renê em sua justificativa.

Antes de a sessão solene começar, os integrantes da Banda Marcial Cnec Paraíba se apresentaram em frente à Casa Legislativa, executando a canção “Meu Sublime Torrão”, hino popular da cidade de João Pessoa, em homenagem à professora cenenista. Eles ainda se apresentaram dentro do Plenário Senador Humberto Lucena, e o parlamentar Helton Renê lembrou que também fez parte da banda quando estudou na instituição.

A homenageada se disse muito feliz com o reconhecimento, principalmente por ter partido de um ex-aluno que ela viu crescer nas dependências da unidade educacional do Geisel e que, conforme avaliou, consagrou-se como um grande jurista.

“Honra-me ostentar este Título, minha João Pessoa, cidade que me viu crescer e que amo de coração. Amo tua geografia e todos os lugares que te fazem linda e encantadora. És também agora meu sublime torrão”, concluiu, citando a canção de autoria do compositor Genival Macedo.

Cnec tem quatro unidades na Paraíba – A Cnec foi fundada nacionalmente em 1943, na cidade de Recife (PE). Já na Paraíba, a primeira unidade educacional da instituição surgiu em 1949.

O presidente do Conselho Fiscal e de Assuntos Econômicos da Cnec, Edinalvo Dantas, que representou a diretoria nacional da instituição, trouxe um histórico de seu surgimento e destacou que existem, atualmente, 125 escolas cenecistas no país. Na Paraíba, são quatro unidades escolares, sendo duas em João Pessoa, uma em Santa Rita e uma em Campina Grande, alcançando cerca de três mil alunos nos ensinos infantil, fundamental, médio e profissionalizante, além de contar também com faculdades de ensino superior.

“Essa instituição nasceu da ideia de um paraibano chamado Felipe Tiago Gomes, que, baseado em ideias de Haya de La Torre, resolveu levar para o interior brasileiro o ensino que, antigamente, a gente chamava de ginásio escolar, equivalente, hoje, às quatro últimas séries do ensino fundamental. Como muitos jovens com idade para ingressar no ginásio não continuavam os estudos porque não tinham condições financeiras para ir para as capitais, ficavam geralmente só com a alfabetização”, explicou.

Ele ainda destacou que a ideia inicial da Campanha Nacional era justamente alcançar os jovens mais carentes do interior do país. “A Cnec começou inicialmente com o nome de Campanha Nacional do Ginasiano Pobre, porque, naquela época, toda a educação oferecida pela instituição era gratuita e a maioria dos professores também dava aula gratuitamente”, frisou.

Sobre a professora Francisca Arruda Ramalho, o conselheiro afirmou: “Ela é um dos baluartes da Cnec e dedica sua vida à instituição, dirigindo dois colégios aqui em João Pessoa”.

Sobre a homenageada – Francisca Arruda Ramalho nasceu em 10 de setembro de 1950, em Ibiara (PB). Aos 14 anos, mudou-se para a Capital paraibana a fim de dar continuidade aos estudos. No início da década de 1970, ingressou no curso de Pedagogia, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e, posteriormente, tornou-se professora concursada do Estado.

Ela participou da fundação da Escola Cenecista João Régis Amorim, no bairro do Geisel, a qual tem mais de 30 anos de existência.

ASSESSORIA
Previous [CLEMILDO BRUNET] A Escola do Rádio: os louros colhidos
Next Chico Rolim e o carro da Sudene

1 Comment

  1. ALUNO
    13/11/2014

    FACULDADE CNEC PREJUDICA ALUNO DOLOSAMENTE*
    FACULDADE CNEC RIO DAS OSTRAS, deve ser denunciada ao MINISTERIO PUBLICO
    FACULDADE CNEC RIO DAS OSTRAS, usa LITIGANCIA DE MÁ FE CONTRA ALUNO
    FACULDADE CNEC RIO DAS OSTRAS, nao cumpre sua FUNÇÃO SOCIAL
    FACULDADE CNEC deve ser PUNIDA PELO MEC

    Att
    Carlos Ferreira

    ————–

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *