[CLEMILDO BRUNET] O centenário do Dr. Atêncio Bezerra Wanderley


Atencio
Culto, simples, discreto, tímido e prudente – Dr. Atêncio Bezerra Wanderley em sua trajetória de vida foi um fiel seguidor desses princípios que nortearam sua existência aqui neste mundo. Seu falecimento ocorreu em 14 de agosto de 1992, em São Paulo, no Hospital da Beneficência Portuguesa, tendo sido sepultado em Pombal em 16 de agosto 1992. Nasceu a 10 de janeiro de 1913 no sítio Arruda – município de Pombal, filho do Cel. Josué Bezerra de Sousa e de dona Esmerina Bezerra Wanderley.
O colunista Wellington Farias do Jornal Correio da Paraíba, em síntese teceu rasgado elogios à figura imponente do Dr. Atencio.
“Um dos homens mais íntegros que a história política da Paraíba registra teria completado 100 anos, na quinta feira, se vivo estivesse: Atêncio Wanderley, natural de Pombal. Era médico dos melhores e carregava uma bagagem cultural pertencente a poucos da terrinha. Atêncio era uma prova de que é perfeitamente possível ser político sem perder a integridade moral.”
Atêncio Bezerra Wanderley, o outro médico dos pobres, falava fluentemente o Francês, Latim, Alemão e o inglês, era um superdotado!  Mas pouco revelava estes dotes pessoais, preferia revelar sua esposa D. Cacilda Medeiros, à qual ele dizia ser: “a razão de sua vida, companheira de todas as horas, segurança dos triunfos, e força nas suas dificuldades”.  Sua vida se foi; seu exemplo ficou. Em janeiro deste ano fiz-lhe esta homenagem.
Peço vênia aos meus leitores para transcrever, como faço agora nesta coluna, um artigo publicado no Jornal CRM-PB, escrito pelo Dr. Antonio Carneiro Arnaud – Presidente da Fundação Laureano entidade mantenedora do Hospital Napoleão Laureano em João Pessoa PB, tendo sido Presidente por duas vezes da Academia de Medicina da Paraíba e agora em 06 de novembro eleito Presidente da Diretoria Executiva da Federação Brasileira das Academias de medicina dos Estados da União.  Na íntegra o Artigo de Carneiro Arnaud sobre o Dr. Atêncio Bezerra Wanderley.
CLEMILDO BRUNET
 

Dr. Atêncio: O médico, o político e o intelectual

 
Acad. Antonio Carneiro Arnaud
Titular da cadeira nº 22 da APMED
No dia 10 janeiro do corrente ano, se vivo fosse, teria completado 100 anos de existência o saudoso colega, inesquecível amigo e destacado conterrâneo Atêncio Bezerra Wanderley. Este é um dos motivos que me faz escrever o presente artigo para homenagear a sua pessoa e reverenciar a sua memória.
Sempre nutri por Dr. Atêncio uma profunda admiração por reconhecer nele qualidades morais e intelectuais próprias aos grandes seres humanos. Foi ele um verdadeiro sacerdote da medicina, exercendo a profissão com dedicação e competência, enaltecendo assim a classe a que pertenceu. Sem abandonar em nenhum instante as suas atividades médicas, convocado por nossos conterrâneos de Pombal, ingressou na vida político-partidária, onde também se destacou por sua honestidade, lealdade e espírito público.
Eleito Prefeito Municipal de nossa terra natal, Dr. Atêncio exerceu o honroso cargo de 1969 a1973, fazendo uma administração operosa e, acima de tudo, calcada nos princípios e zelo para com os recursos públicos. Nunca, em algum instante, qualquer adversário lhe fez a mínima censura ou mesmo alguma acusação sequer leviana.
Desempenhou o mandato de Deputado Estadual na Assembleia Legislativa da Paraíba, por duas legislaturas de 1979 a 1983 e de 1983 a 1987, onde foi sempre respeitado e elogiado por todos os seus pares.
Durante todo o período de atuação política, Dr. Atêncio sempre agiu com muita postura e seriedade, qualidades que estão  rareando na classe política brasileira. Ele foi um bondoso amigo do meu saudoso tio Deputado o Janduhy Carneiro, e quando ingressei nas lides partidárias, após o falecimento dos meus tios  Janduhy e Ruy Carneiro, recebi dele o apoio e a solidariedade de que tanto necessitava. Disputamos juntos, ele, o mandato de Deputado Estadual, e eu o de Deputado Federal, considerando-o como meu verdadeiro chefe político a quem pedia sempre orientação e conselho.
Permanente estudioso e amantes dos livros, possuiu uma cultura vastíssima, e mesmo vivendo distante dos grandes centros literários, acompanhava tudo como se estivesse bem perto deles. Foi um dos fundadores da Academia Paraibana de Medicina e o primeiro ocupante da cadeira de nº 7, cujo patrono é o Dr. Chateaubriand  Bandeira de Melo, Ao fazer o elogio ao patrono da cadeira por ele inicialmente ocupada, tive a honra de saudá-lo e apresentar as felicitações em nome de nossa APMED.
O Acadêmico Delosmar Domingo de Mendonça, que o sucedeu na cadeira de número 7, para traduzir a qualidade de intelectual de quem sucedeu, assim se expressou no seu discurso de posse: “Era agradável conversar com o Dr. Atêncio Wandereley, já que ele conhecia sobejamente a República e os diálogos de Platão, falava com erudição sobre Montaigne, Sócrates, Descartes, citando trechos do discurso do método e As palavras da Alma de Voltaire, com seus Contos e outros célebres pensadores”.
Para mostrar o valor intelectual do Dr. Atêncio, o escritor W. J. Solha, com a maestria de quem sabe escrever, disse: “Porque ainda hoje acho que Pombal foi, com esse MEU AMIGO, a cidade-estado grega que teve – fato raríssimo – o rei  filósofo que Platão tanto desejava para sua República”.
Era um apaixonado por sua terra e por seus costumes. Gostava de Vaquejada e de cantoria de violeiros. Ainda cito W. J. Solha escrevendo sobre o Dr. Atêncio, quando afirmou: O Doutor conhecia todos os cordelistas e repentistas, pelos quais era fascinados. Não tanto quanto eu  me deslumbrava ao vê-lo de , de chapéu de  couro montar e sair disparado numa das vaquejadas, como tantos dos seus vaqueiros”. Na sua  Fazenda Caiçara, sentia-se feliz ao ouvir o urro do gado, o som dos chocalhos e o cantar dos pássaros.
Foram seus pais o Sr. Josué Bezerra de Sousa e D. Esmerina  Wandereley Bezerra, formou-se em Medicina no dia 15 de dezembro de 1945, pela Faculdade de Medicina do Recife, hoje da Universidade Federal de Pernambuco. No início do ano seguinte, já estava clinicando em sua terra natal.
Casou-se no dia 29 de novembro de 1947 com Cacilda Medeiros, de tradicional família sertaneja, e dessa união nasceram quatro filhos: Marcus Venicius, matemático com doutorado na cidade de Montepellier na França. Berta Letícia, psicóloga, casada com o médico Ugu Ugulino Lopes, Alba Rejane, médica, casada com seu colega médico Gilberto Albuquerque Espínola, e Ana Valéria, engenheira, com doutorado na França e casada com o engenheiro Mauro Santana.

Dr. Atêncio Bezerra Wanderley exerceu, entre outras inúmeras atividades, o cargo de membro do Conselho Deliberativo da Fundação Laureano, entidade mantenedora do Hospital Napoleão Laureano. Ele foi também Secretário de Saúde do município de João Pessoa, escolhido por mim quando fui Prefeito eleito da Capital do nosso Estado.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *