Cajazeiras-PB, 22/10/2017

Bispo da Diocese de Cajazeiras critica decisão do STF sobre aborto

O bispo diocesano de Cajazeiras, Dom Francisco de Sales, divulgou uma nota contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que não considerou crime abortos praticados até o terceiro mês de gestação.

Citando o Papa Francisco, o bispo de Cajazeiras classifica a decisão como obscurecimento das consciências: “a Igreja sempre entendeu, defendeu e proclamou que a história do ser humano começa na fecundação, por isso urge despertar as consciências para a gravidade do precedente aberto pela decisão do Supremo Tribunal Federal”, diz a nota.

Condenando a decisão, Dom Francisco de Sales dia que “não é justo fazer o cerceamento da vida humana, decretando quem pode e quem não pode nascer, simplesmente obedecendo a lógica da cultura do descartável, amplamente denunciada pelo Santo Padre, onde, com frequência, os seres humanos, especialmente os mais vulneráveis e indefesos, dentre eles os nascituros, são descartados como ‘coisas’ não necessárias.”

“O Magistério da Igreja nos ensina que o ser humano deve ser respeitado e tratado como uma pessoa desde a sua concepção e, por isso, desde esse momento, devem-lhe ser reconhecidos os direitos da pessoa, entre os quais o primeiro de todos: o direito inviolável de cada ser humano inocente à vida”, declarou a nota da Diocese de Cajazeiras.

“Por isso, defendemos e sustentamos que nenhuma circunstância, nenhuma lei, poderá tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito, porque contrária à Lei de Deus, escrita no coração de cada ser humano. Ninguém pode ser arbitrariamente privado da vida”, finalizou Dom Francisco de Sales.

COM INFORMAÇÕES DO GAZETA DO ALTO PIRANHAS

SOBRE Gazeta do Alto Piranhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *