Cajazeiras-PB, 18/10/2017

Batata doce vira ‘ouro’ no Sertão e Conceição/PB se torna a 4ª maior produtora do Brasil

conceicao-batata

Debaixo de sol forte e temperatura acima de 40º, o agricultor José Nildo Gomes, 49 anos, sertanejo de poucas palavras e carisma contagiante, enfrenta as adversidades climáticas para colher nos cinco hectares de terra a raiz que vem mudando a economia da cidade de Conceição, no Sertão paraibano: a batata doce.

O ‘ouro do Sertão’, como é considerada, a batata reacendeu a economia local e o produto está sendo exportado para outros estados brasileiros, como Pernambuco, Bahia e Ceará. A raiz, que contém um alto poder nutritivo, está mudando o cenário de tristeza deixado pela escassez de água.

A cidade com pouco mais de 19 mil habitantes, localizada a 482 km de João Pessoa, é considerada a maior produtora do vegetal na Paraíba e a 4ª no Brasil.

Sem precisar de investir em maquinários e com o baixo custo de produção, famílias estão fazendo uma força-tarefa para aproveitar os espaços, tornando possível encontrar mudas sendo plantadas em vários pedaços de terra. O resultado é satisfatório.

Seu José Nildo disse que o resultado está sendo satisfatório para as famílias. “Hoje a batata doce mudou a economia da cidade; quem tem mais condições, planta em grande quantidade; quem não tem, planta também. Há dois anos que a raiz mudou a realidade de Conceição”.

O agricultor conseguiu colher quase duas toneladas do produto, sendo boa parte vendida para o comércio de outras cidades. “A gente colhe e vende pra fora. Tem comprador de Pernambuco, Juazeiro do Norte/BA, Ceará e daqui da Paraíba”. Nas feiras livres é possível encontrar a batata a preço mais barato em torno de R$ 1,50/kg. Já a saca que custava R$ 70,00 hoje já encontra por R$ 40,00.

O sucesso da colheita não está apenas no solo, mas na conservação da muda. Deixar a terra sempre molhada é um dos segredos para um produto de qualidade, conforme explica José Nildo. “A terra tem que estar sempre úmida. Temos duas propriedades; em uma, tem um poço artesiano; na outra, um pequeno açude abastece a plantação. Tratando bem a planta, o resultado é satisfatório”.

A boa qualidade do produto está sendo testada na culinária. Doces, bolos e até mesmo sacolés usando a batata doce como matéria-prima, o que têm agradado o paladar dos consumidores.

O pouco investimento da prefeitura tem sido um dos problemas enfrentados para os pequenos agricultores. “A prefeitura ajuda, mas é muito pouco. Não supre a nossa necessidade. Para os grandes produtores não há problemas porque eles têm meios, mas e quem não têm?” indagou Nildo.

Preocupados com a situação dos agricultores, os vereadores discutiram a criação de um projeto para incentivar a plantação e colheita da batata doce. Também foi sugerida a criação do ‘Dia da Batata’ e a ‘Festa da Batata’, para valorizar cada vez mais a matéria-prima local.

PORTAL CORREIO

SOBRE Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *