Cajazeiras-PB, 18/11/2017
HOME » NORDESTE » Barbalha abrirá festa de Santo Antonio com cortejo do pau da bandeira

Barbalha abrirá festa de Santo Antonio com cortejo do pau da bandeira

barbalha-pau_400x600

O dia começa ao som dos pifes e tambores dos cortejos populares. A cultura está na rua para reverenciar o Santo Antônio e dar início da festa do padroeiro de Barbalha. São cerca de 60 grupos de tradição mais os para-folclóricos, que acompanham o som misturado às cores das bandeiras que ornamentam as principais ruas da cidade, por onde a grande atração do dia irá passar, o pau da bandeira do santo, que será hasteado no começo da noite.

Os festejos devem mobilizar ao longo do dia de abertura cerca de 250 mil pessoas nas ruas. Até o dia 13, pelo menos meio milhão de fiéis e turistas passarão pelo município .Neste ano, a árvore escolhida para servir de mastro foi uma Rama Branca, retirada do sítio São Joaquim, a 6 quilômetros da sede. Será a mais pesada dos últimos anos, com mais de 2,5 toneladas e cerca de 23 metros, que será levada até à Matriz, nos braços de pelo menos 200 homens, que cumprem o cortejo de fé em mais de cem anos de história.

Ainda neste ano, segundo o secretário de Cultura e Turismo de Barbalha, Antonio de Luna, a cidade tem dois grandes motivos de comemoração para engrandecer ainda mais a festa que se tornou uma das mais reverenciadas do Estado e do Brasil, em louvor ao santo casamenteiro. É que até o mês de agosto deverá acontecer o registro da tradicional Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha, denominação dada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como forma de inserir todo o contexto das festividades.

Outro ponto é a chegada da Copa do Mundo, que fez com que o colorido se tornasse mais verde e amarelo, em alguns pontos da cidade, e com as cores das bandeiras dos diversos países do mundo, noutros.

O período também garante um retorno importante para a economia da cidade. São quase 15% de aumento nas vendas do comércio, em segmentos como o de calçados e vestuários, de acordo com estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Barbalha. O período perde apenas para o Natal. Conforme a presidente do órgão, Suzete Luna, as lojas de móveis e eletrodomésticos, além do setor de alimentos e bebidas, também se destacam.

A festa começou extraoficialmente ontem, com a noite das solteironas, iniciando as quermesses, com missa às 19 horas. Às 9 horas de hoje, a celebração oficial conta com os carregadores do pau da bandeira, que sairão da matriz de Santo Antônio às 10 horas em direção ao sítio São Joaquim, para iniciar o cortejo que irá durar cerca de 7 horas. Serão homenageados durante o dia de hoje, carregadores antigos do mastro do santo.

Preocupação – O capitão do pau da Bandeira, Rildo Teles, desde 2001 está à frente do cortejo, comandando o trajeto. Ele disse que sua grande preocupação esse ano é referente ao peso da árvore, que passou apenas 11 dias na “cama do pau”. Normalmente são 15 dias. Isso fez com que o tronco não secasse o suficientemente para facilitar o peso nos ombros dos carregadores.

A expectativa é que o pau da bandeira chegue na cidade às 17 horas e seja hasteado no máximo às 18 horas. Para o pároco da matriz de Santo Antônio, padre Cícero Alencar Ferreira, esse seria o horário ideal, até mesmo como forma de garantir a segurança de uma multidão que adentra a cidade.

Enquanto acontece o cortejo do pau da bandeira, saindo do São Joaquim, outro cortejo ocorre no Centro, por volta das 11h30, iniciando-se pelo entorno da matriz e indo até o largo do Rosário. São os grupos de tradição, que inclui os reisados, penitentes, mulheres do côco, quadrilhas juninas, bandas cabaçais e grupos para-folclóricos.

Outra grande preocupação é a chegada do pau da bandeira antes do anoitecer, por cota da segurança da população nas ruas da cidade. Rildo Teles afirma que há uma necessidade maior de iluminação na rua do Vidéo, local mais próximo da matriz. O grande número de bandeirolas ornamentando a rua, segundo ele, acaba prejudicando e deixa o espaço com pouca luz para a passagem do mastro, com a grande multidão, além de alguns ambulantes, que insistem em permanecer no espaço, que se torna estreito para a passagem do cortejo.

E para suportar tamanho peso, Rildo diz que o segredo mesmo está na disposição e concentração para levar adiante o tronco da Rama Branca. A última delas, foi carregada em 2011, também retirada do sítio São Joaquim, com acompanhamento e autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio). Tem também a tradicional “cachaça do vigário”, para os que bebem para suportar o peso. São homens que, em sua maioria, vivenciam uma missão de fé, em que todos os anos estão lá para cumprir, muitas vezes, uma promessa que atravessa até mais de uma geração.

Entre o sagrado e o profano, o padre Cícero Alencar afirma que não pode afirmar se esse profano existente, já que a religiosidade, a cultura e a tradição são mais fortes. “As pessoas têm acima de tudo fé no santo padroeiro”, diz ele, ao destacar que ao ser hasteada a bandeira, há 15 anos confeccionada e doada pela artista plástica, Sandra Sobral, a fé do povo se eleva para bênção do santo em todo o Município. A festa de Santo Antônio será encerrada com procissão do santo, no dia 13 de junho, às 16 horas, com o cortejo pela cidade. A estimativa do pároco da matriz, Cícero Alancar, é que cerca de 70 mil pessoas participem da missa e da procissão. Pela manhã haverá missa solene, às 9 horas, e às 12 horas queima de fogos em louvor ao santo.

DIÁRIO DO NORDESTE

SOBRE Christiano Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *