A Faisqueira do Gazeta


Cego em meio de tiroteio  Por desconhecer os meandros do funcionamento da Secretaria de Saúde de Cajazeiras, a futura titular da pasta, Dra Paula, estaria sendo assessorada pelas secretárias de Bom Jesus e São João do Rio Peixe, principalmente na montagem da equipe.

Tô fora  A recém indicada para a secretaria adjunta da educação, Josefa Veríssimo Rolim (Profª. Zeneide), teria desistido de continuar na função por não poder “indicar” os técnicos necessários para o bom exercício da pasta, além de outras ingerências incômodas no trabalho que já vinha exercendo.

Novo embate  Aliados de Carlos Antonio defendem o nome de Dra. Denise para disputar a eleição para a Assembléia da Paraíba, em confronto com a esposa do prefeito eleito de Cajazeiras, José Aldemir, a médica Paula Meireles. Esta disputa seria a prova dos noves para se descobrir quem tem mais voto em Cajazeiras: Zé ou Carlos.

Não adianta gemer  José Aldemir Meireles, que a partir de 1º de janeiro é o novo prefeito de Cajazeiras, declarou a imprensa, que não tem compromisso com ninguém, nem mesmo com Vituriano, para as eleições de 2018 e acrescentou: “e com nenhum empresário, a quem nada pedi”. Estas palavras seriam dirigidas a Deca do Atacadão, que já teria dito pretender disputar o mandato de deputado federal?

Não adianta gemer  Zé Aldemir, que já tem três dezenas de “beira de estrada”, não é menino besta e muito menos vai abrir a guarda para que já passem a mandar nas suas movimentações políticas e só vai para onde lhe interessa e dê resultados, basta ver a quantidade de partidos a que já se filiou.

Apagando fogo  A “trupe” de amigos do poder, que têm sido acólitos do prefeito eleito Zé Aldemir, vêem observando que enquanto Zé, que tem soltado fogo pelas ventas quando acuado, que quem vem apagando o fogo que ele espalha é Dra Paula. Já imaginou o estrago se os dois fossem incendiários?

Aposta  Tem uma advogada cajazeirense que aposta todas as suas fichas que depois que Zé Aldemir tomar posse vai desbloquear o dinheiro do FPM e vai gastar todinho com o carnaval e disse ainda que o sindicato não vai resistir. O que tem debaixo desse angu que ninguém sabe?

Sair sem manchas  Aliados da prefeita Denise, têm afirmado que o sindicato dos funcionários públicos de Cajazeiras teria feito de tudo para “atrapalhar” o final da sua gestão, fazendo até uma greve, que foi considerada ilegal. Sem alarde vem conduzindo o final de sua gestão, como se fora o primeiro dia: pagará o mês de novembro e se sobrar recursos vai dar inicio o mês de dezembro.

Buchichos  Comenta-se pelas esquinas da cidade que o futuro prefeito de Cajazeiras, José Aldemir, estaria certíssimo que por pressão do povo, vai aprovar as mensagens enviadas para a Câmara Municipal em tempo recorde, mas não seria exatamente desta forma que a maioria dos vereadores estaria disposta a se comportar.

Buchichos  A maioria aposta que todas as mensagens vão passar pelos tramites legais e principalmente ao que se relaciona ao tempo regimental, além das possíveis “manobras”, para ampliar o tempo, que poderão ser feitas por “experientes” edis, que dão até nó em pingo d’água.

Sem liberdade  Comenta-se que nenhum dos secretários indicados pelo futuro prefeito tem a liberdade de indicar qualquer pessoa para assumir funções junto aos seus gabinetes, inclusive esta teria sido a razão da desistência do vereador  Neto da Vila de assumir a titularidade de uma das pastas. Nos bastidores existe um “barulho” que tem outras desistências em função desta cláusula.

Tô fora   Zé Aldemir teria sido indagado se assumiria a UPA de Cajazeiras e deu uma resposta, riscando em cima da linha: que não aceitará a responsabilidade desta unidade. Todos sabem que a gestão das UPAS é de responsabilidade do município, mas um acordo entre Denise e Ricardo, o governo do estado assumiu a gestão. Daí muitos pensaram que o futuro prefeito, que garantiu uma excelência para a área de saúde, poderia assumi-la, mas pula fora e muito longe.

Surpreendente  As declarações da futura secretaria de saúde de Cajazeiras, Dra. Paula,  que vai atender as demandas de saúde dos 15 municípios da Região do Alto Piranhas, provocou de um popular o seguinte comentário: “a campanha para sua eleição de deputada estadual começou antes do tempo”, mas deixou uma interrogação: “do ponto de vista legal como isto pode ser feito?”

Previous Grupo Terra: Projeto Mambembão
Next Tenente Barbosa na Fazenda Serraria

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *