A Faisqueira do Gazeta

COLUNA SEMANAL DO JORNAL GAZETA DO ALTO PIRANHAS

AM3 – 250×250

Registro Espúrio  O deputado federal Wilson Filho, do PTB da Paraíba, foi alvo nesta manhã do dia 30, de buscas pela Polícia Federal, autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal, em seu gabinete em Brasília. A operação foi batizada de Registro Espúrio e visa cumprir 64 mandatos de prisão preventiva e 15 de prisão temporária e outras medidas cautelares.

 

 

Registro Espúrio  A operação envolveu 320 policiais que cumpriram as medidas no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. A causa seria a de liberação de registro sindical, junto ao Ministério do Trabalho, com somas que atingiam até 4 milhões de reais. Era tudo que o jovem Wilson Filho não desejava em sua vida, principalmente neste momento em que é candidato a deputado estadual: ser investigado pela PF.

 

Há quilômetros de distância   A pré-candidata a deputada estadual, Dra. Paula Meireles, esposa do prefeito de Cajazeiras, médico José Aldemir viajou léguas de distância para catar o apoio e o voto do empresário de São João do Rio do Peixe, Régis Morais, que reside em São Paulo.  Das atuais lideranças de São João só quem não vota nela é o médico José Nilton, o resto pede votos para Dra. Paula. O poder tem aroma de rosas.

 

Sem empolgação  A poucos dias da Copa do Mundo de Futebol a única empolgação vista em Cajazeiras, em torno da Seleção Brasileira, está sendo nas lojas que vendem televisão. Muitíssimo diferente de outras copas que muito cedo já havia esgotado o estoque de camisas e bandeiras do Brasil. A Seleção depois dos sete a zero e dos altos custos dos jogadores, deixou de ser paixão, agora é só negócio.

 

Desabafo  O médico Antonio Vituriano de Abreu usou mais uma vez uma rede social para fazer um desabafo em torno do que foi e seria o maior sonho de sua vida: o Hospital Albert Sabin. Ainda rola na justiça uma questão sobre o arrendamento feito pelo mesmo com um cidadão de Cajazeiras, cujo resultado final é imprevisível.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Tem dinheiro na jogada  O sapateiro Antonio Gobira, fenômeno eleitoral na última campanha para deputado federal e candidato de novo, ocupou os meios de comunicação esta semana para “cair de pau“ no também candidato Gervásio Maia: “nunca colocou um pingo d’água nas torneiras de ninguém” e insinuou: “estes apoios aqui em Cajazeiras não são de graça”. Gervásio tem o apoio do deputado estadual Jeová Campos em Cajazeiras, terreiro de Gobira.

 

Aposta nos três   Antonio Gobira levanta a bandeira para que o voto dos cajazeirenses para deputado federal seja para os candidatos da terra, mas não entra em contradição ao defender também que estes votos sejam dirigidos para os três candidatos a deputados estaduais por Cajazeiras: Dra. Paula, Júnior Araújo e Jeová Campos. Gobira quer conquistar a simpatia dos eleitores destes três grupos, sinal de que não sabe apenas fazer sapatos.

 

Léo Abreu   Enquanto o ex-prefeito de Cajazeiras, médico Carlos Antonio, teve junto ao TCU um recurso acatado de reconsideração e foi dispensado de um débito de 50 mil reais, Dr. Léo Abreu, ex-prefeito, foi condenado a uma  multa de 4 mil reais e a imputação de um débito de 143 mil reais, referente a despesas não comprovadas. Dr. Léo precisa mudar de advogado urgentemente, quem sabe o mesmo de Carlos Antonio.

 

Resistir é preciso  Mesmo depois do anúncio de que será demitido da Secretaria Executiva do Meio Ambiente de Cajazeiras, o professor José Maria, estaria ainda trabalhando e na esperança que o prefeito Zé Aldemir rasgue a portaria que assinou o demitindo. Zé tá igual a sapo que entra na igreja: só sai no cabo de vassoura.

 

Padre Francivaldo  O prefeito Zé Aldemir já teria um nome para substituir José Maria no Meio Ambiente, que é o do Padre Francivaldo, que faz parte do grupo que “aconselha” o prefeito. A vaga seria do PT, mas nada impede a caneta de Zé Aldemir escrever o nome que lhe for conveniente e salutar. O padre desenrola até Bombril.

 

Greve indesejada  O governador Ricardo Coutinho, que adora ver o tilintar de moedas do Real caindo nos cofres do estado, jamais imaginou ao apagar das luzes de seu governo ter um enorme prejuízo com a greve dos caminhoneiros, cuja primeira conseqüência foi a retirada de um dos impostos sobre combustível. Mas talvez o “rombo” maior deverá ser pela falta de fluxo de mercadorias, que gera em abundancia o ICMS. A choradeira durante este resto de mandato vai ser grande.

INFORMAÇÕES: GAZETA DO ALTO PIRANHAS
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.