A Faisqueira do Gazeta


Gesto de aproximação  O prefeito Zé Aldemir, antes de embarcar para o mundo socialista, fez uma visita ao apartamento do presidente da Câmara Municipal, Marcos Barros, para agradecer a defesa que o mesmo  fez para aprovar o seu pedido de afastamento. Claro que foi um pretexto para selar as pazes.

Acendendo o cachimbo da paz  Neste encontro teria sido conversado sobre política e futuras eleições, ficando de fora às do próximo ano, mas que Marcos teria afirmado que com relação às do ano de 2020 não teria compromisso com ninguém. Zé Aldemir teria “pedido” a Marcos, neste momento, a sua ajuda para estreitar os laços e ajudá-lo na Câmara. Uma mão lava outra e para lavar quatro mãos só precisa de mais água.

Traição  Muito embora tenha havido uma explicita reação negando  uma notinha na “Faisqueira” que haveria mudanças na mesa diretora da Câmara Municipal de Cajazeiras, a eleita com antecipação, no acordo que foi realizado pelo grupo da oposição para eleger Marcos Barros. Esta semana, fontes fidedignas, continuam afirmando que vão desmanchar tudo que foi realizado. Tem mais gente de olho na cadeira de Marcos.

Surpresa  Talvez, a única vereadora a tomar conhecimento, antes do anúncio, de que Denise seria candidata a deputada federal, teria sido Léa Silva, durante uma carona de Carlos Antonio até o aeroporto para recepcionar o governador Ricardo Coutinho. O vereador Marcos Barros teria dito ao governador que os outros vereadores foram também pegos de surpresa. Vale ressaltar que Léa, velha amiga e aliada, vai votar em Efraim Filho.

Ricardo deve ter gostado  Carlos Antonio teria comunicado ao governador Ricardo Coutinho que Denise seria candidata a deputada federal, no trajeto entre o aeroporto e o local do Encontro Regional do PSB (CDL). O sonho de Ricardo é eleger pelo menos um deputado federal pelo PSB. Prevalece o velho ditado: “quanto mais cabra, mais cabritos”. O PSB deve perder mensalmente na Paraíba, por não ter um deputado federal,  mais de 400 mil reais do Fundo Partidário.

Noutros braços  Os três vereadores do PSB de Cajazeiras, Marcos Barros, Alysson e Rivelino, logo depois do Encontro Regional do PSB, tomaram a decisão de ingressar no projeto de Gervásio Maia rumo à câmara federal. Porque não foi no de Denise, companheira e aliada de tantas lutas? Mistério!!!

Aval  Quem tem dúvida se os três vereadores do PSB de Cajazeiras que vão apoiar Gervásio Maia teria sido a pedido do governador Ricardo Coutinho? Rivelino daria um passo sem o consentimento do governador?

Sem volta  O deputado Jeová Campos, em seu discurso no Encontro Regional do PSB, realizado em Cajazeiras no último dia 08, não tocou nos nomes de Carlos Antonio e Denise, mas fez questão de convocar o candidato a deputado federal Chico Lopes para o seu lado e dizer: “este homem tem um passado de luta e é um homem integro”, além de outros elogios. Ficou claro para os presentes que Jeová quer distância de Carlos e Denise.

Briga ampliada  A “briga” entre Carlos Antonio e Zé Aldemir a cada dia que passa mais aumenta. Esta semana Carlos teria dito que a cidade estava vivendo um caos na saúde e que nenhum trabalhador brasileiro se dava ao luxo de sair de férias para a Europa, abandonando a cidade.

Briga ampliada  Aí veio o troco, primeiro da esposa do prefeito e secretaria de saúde, Dra. Paula: chamou Carlos de “psicopata” e foi arrematado por José Aldemir, em outro momento, dizendo que ele estava precisando de “eletro choques”. Os dois não podem participar da mesma festa, porque se apagarem as luzes, briga de foice no escuro é muito perigoso.

Foi estranho  Teria sido considerado muito estranho, mesmo sendo do mesmo partido, o comentário feito pela ex-prefeita de Cajazeiras,  Dr. Denise ao dar “os parabéns aos companheiros de partido (de Cajazeiras) pela decisão de votar em Gervásio, excelente nome de Catolé do Rocha”. Denise e Gervasio são pré-candidatos a deputado federal. Um popular teria comentado: “o que diabo é que tem debaixo deste prato de angu ao defender um candidato de fora?” Mistério!!!

Antonio Galego  Ex-vereador estaria só e abandonado pelos líderes de Cajazeiras, a quem tanto ajudou. Sem mandato até agora não teria conseguido sequer um palito de fósforo. Quanta ingratidão teria dito.  Zé Aldemir estaria de olho em Toinho.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *